home Sem categoria Varejo 4.0: a união da inteligência de pagamentos e User Experience

Varejo 4.0: a união da inteligência de pagamentos e User Experience

A transformação digital está provocando mudanças drásticas em todo o mercado. O comércio também está inserido nessa nova realidade e os negócios precisam conhecer mais sobre as novas tecnologias e como aplicá-las, especialmente no varejo.

Para entendermos o que é Varejo 4.0, é preciso entender que o consumidor mudou a maneira como faz compras. As empresas, então, precisam se reinventar diante dessa nova realidade. Se antes, grandes investimentos eram feitos para impulsionar o crescimento de lojas tradicionais e físicas, nas ruas e em shopping centers, agora é preciso disponibilizar produtos também no ambiente online, ao alcance do consumidor em qualquer lugar, a qualquer momento.

O modelo Varejo 4.0

Este novo modelo trouxe como proposta inserir o negócio em uma nova realidade tecnológica, destacando o diferencial competitivo no mercado e agilizando a coleta de informações do público.

Mais do que um produto de qualidade, os  consumidores buscam uma relação de proximidade com esse processo – aprender, tocar, escolher, conhecer, comparar, avaliar… O ambiente digital é o canal para a interação e fortalecimento dos vínculos no ambiente virtual e físico.

Os millennials, ou a geração Y, é o principal grupo de consumidores hoje no mundo. Crescendo com o boom da internet comercial, a experiência é um fator primordial para esses sujeitos.

Experiência do Usuário no Varejo 4.0

UX (User Experience) é o mindset que deve orientar o desenvolvimento de toda a jornada do usuário. O foco da produção é como as utilizam e interagem com determinado sistema, de forma que essa experiência seja positiva e favorável para o cliente.

Priorizar a experiência do usuário significa se apoiar em testes A/B. Assim, é possível determinar as melhores trajetórias de funcionamento de um sistema. Além disso, aproveita-se a riqueza de dados de comportamento do público disponíveis no meio digital.

Portanto, UX deve abarcar todos os fatores que contribuem para a percepção geral do usuário. As necessidades dos clientes são atendidas? É rápido, atraente e intuitivo? Toda essa estratégia deve considerar os diversos aspectos que atuam para construir a experiência: preferências, crenças, emoções, percepções, respostas físicas e psicológicas do usuário, entre diversos outros aspectos.

Atendimento Omnichannel

O atendimento omnichannel é outro aspecto fundamental para que os negócios consigam entrar de vez numa realidade cada vez mais digital. Através de qualquer canal, o cliente pode entrar em contato com a empresa e continuar a interação do ponto em que parou no contato anterior.

Por exemplo, se o cliente entra em contato pelo chat do site e fez uma solicitação, pouco após isso, enviou mensagem no Whatsapp para confirmar o status, a empresa deve tratar esse atendimento como uma continuidade.

A utilização de chatbots com inteligência artificial também é um grande diferencial, tanto para o cliente, que consegue sanar dúvidas frequentes mais rapidamente, como para a equipe da empresa, que pode se dedicar a outras atividades que não o trabalho repetitivo de sempre responder às mesmas questões.

Inteligência de pagamentos

Segundo pesquisa do Banco Mundial, o Brasil é o 4º país do mundo em pagamentos sem dinheiro. No entanto, ainda é um mercado pequeno e que têm muito a expandir. Meios de pagamentos sempre foram vistos mais como uma despesa para os varejistas. Isso pela sensação de serem “reféns” dos serviços dos Bancos.

No entanto, diante da mudança nos padrões de consumo, pagamentos realizados por cartões e aplicativos estão se tornando mais comuns e é mais interessante que as empresas dominem essa realidade do que ficar correndo atrás do prejuízo depois.

Com novos modelos de cobrança, o varejo pode oferecer alternativas para pagamento, sem que o cliente tenha que enfrentar fila. UX pode contribuir com o desenvolvimento de apps, soluções online via site, pagamentos via QR Code, pontos de autoatendimento. Diversas alternativas podem ser pensadas e colocadas em prática para oferecer uma experiência ainda melhor para o cliente.

O varejista precisa, portanto, conhecer o mercado e saber como poderá liderar essas mudanças. É importante entender esse cenário atual, ao invés de apenas investir esforços para criar novos padrões de experiência para o consumidor. Trabalhar com parceiros especializados em tecnologia para o mercado financeiro é o apoio ideal que seu negócio precisa para crescer com escalabilidade.

Gostou? Compartilhe:

Gabriel Rodrigues Alves Santos

Gabriel Rodrigues Alves Santos

Analista de Marketing na Cedro Technologies. Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).