Quando devo ter uma API do mercado financeiro?

22 / 03 / 2022

Quando devo ter uma API do mercado financeiro

Se você pretende investir em um negócio digital ou digitalizar um que já tenha, com certeza vai precisar de um software de aplicação, popularmente conhecido como API. Essa API nada mais é que um sistema de códigos criado para facilitar a conexão entre sistemas com diferentes funções, proporcionando o envio e recebimento de dados e/ou informações. 

Se você pretende aproveitar esse universo que cresce cada vez mais, está na hora de saber o que é API e qual dos softwares de aplicação você deve usar para o teu negócio.

Qual a função de uma API?

O software de aplicação ou API trata-se de um conjunto de instruções e métodos que possibilita a conexão entre dois sistemas diferentes, funcionando como se fosse uma ponte interligando-os.

Para ficar mais claro, vamos pensar no seguinte exemplo: você tem uma floricultura em um sobrado de 2 andares. O térreo você utiliza para concentrar ferramentas e produtos que servem para fazer a manutenção de plantas, como mangueiras, terras, pedras, adubos, vasos, dentre outros. É melhor assim por conta da logística e estrutura do prédio.  

Já no primeiro andar, você deixa as plantas e flores de jardim, pois é onde se tem mais janelas que contribuem com bastante sol e ventilação para seus produtos. Também, sementes e itens mais leves ficam lá, de modo a respeitar a sustentação do edifício. 

Para que você e seus clientes consigam transitar, é preciso que haja uma escada ou elevador interligando os dois ambientes, certo? Além disso, com ela conectando os dois espaços, você consegue carregar as plantas para baixo ou levar algum produto de manutenção para cima, mantendo a floricultura funcionando em perfeitas condições. 

Essa mesma lógica vale para um software de aplicação. Independente das funções de cada sistema e o que lá tem disponível, a API possibilita a troca de dados, comandos, informações, dentre outras funções tecnológicas que sejam necessárias. 

Essas conexões só são possíveis, pois, as APIs possuem padrões de instruções, regras, ferramentas e métodos de programação, permitindo que qualquer negócio possa utilizá-la para conectar seus sistemas, oferecendo serviços e produtos com maior competitividade tecnológica. É como se fosse a ABNT da programação em códigos.

Aplicativos web ou mobile, em suma maioria utilizam a tecnologia para manter a usabilidade e funcionamento mais rápida e otimizada. Isso porque à medida que o uso da Internet das Coisas e Inteligência Artificial aumenta, mais necessário se faz a criação de ambientes compartilhados para a troca de informações de maneira estratégica.

Tratando-se de vendas digitais, o software de aplicação é ainda mais essencial, garantindo que a plataforma onde esteja aplicado ofereça diferentes possibilidades de transações financeiras com segurança e rapidez. 

>> Quer saber mais? Confira nosso conteúdo completo “O que é API?”

 

Tipos de API

As APIs podem se categorizar de duas formas diferentes. Primeiro, em questão de sua funcionalidade, ou seja, se é uma API para Dados, Serviços Internos, Serviços Externos ou Experiência do Usuário. Veja a seguir: 

  • APIs de Dados

As APIs de Dados são fornecedoras de acesso CRUD a bancos de dados ou provedores de nuvem SaaS. Ou seja, elas são responsáveis por possibilitar o compartilhamento de informações de maneira rápida e efetiva, desde que haja conexão com a internet. 

É uma API fundamental para quem deseja ter um negócio digital que estará sempre precisando de atualizações ou que precisa de armazenamento de dados internos.

  • APIs de Serviços Internos

Como o próprio nome já diz, as APIs de Serviços Internos são ideais para otimizar processos ou ações complexas dentro da empresa, de modo a conectar e expor os serviços privados. 

  • APIs de Serviços Externos

Já  APIs de Serviços Externos são para otimizar processos e/ou serviços da empresa que tem alguma ligação com terceiros, agregando um valor adicional no produto ou serviço oferecido.

  • APIs de Experiência do Usuário

Por fim, as APIs de Experiência do Usuário são ótimas aliadas dos desenvolvedores para oferecer a melhor experiência para quem navega pelo sistema independentemente do dispositivo utilizado (mobile, desktop, tablet, VPA, IoT).

Também, podemos classificar os tipos de api em questão de acessibilidade, onde o fator determinante da categorização é a disponibilidade que o software de aplicação possui. São elas: API Pública, API Fechada, API Composta e API de Parceiros. Confira:

 

#1 APIs públicas

As APIs abertas ou públicas, são aquelas que possuem disponibilidade de consumo para qualquer desenvolvedor ou usuário de forma pública, onde as restrições são mínimas já que a concentração de acesso de dados e serviços é justamente para usuários externos. 

 

#2 APIs privadas

Diferentemente da API pública, as APIs internas ou privadas possuem foco no público de dentro da empresa, conectando os sistemas e otimizando o acesso e compartilhamento de informações privativas. Elas são fundamentais para a aceleração do desenvolvimento interno, trazendo maior produtividade com a reutilização de serviços já feitos. 

#3 APIs de parceiros

As APIs de parceiros são um intermediário entre a API pública e privada. Na prática isso quer dizer que, elas estão sim expostas a terceiros para uso, mas, precisam de direitos e informações específicas para ser acessada. Geralmente, são utilizadas de maneira mais estratégica, em parceria com algum espaço ou sistema que agregue valor ao produto final.

#4 APIs compostas

Úteis para realizar o padrão de arquitetura de micro serviços, as APIs Compostas possibilitam a conexão e compartilhamento de informações de vários sistemas diferentes, ainda que seja para executar apenas uma tarefa. 

>> Veja “Como testar uma API de forma amigável”

A importância das APIs do mercado financeiro? 

Com a transformação digital, muitas transações financeiras que até então necessitavam ser feitas presencialmente, acabaram migrando para o mundo online. Desde bancos digitais até e-commerces, são as APIs que garantem que a troca de informações e as operações desejadas pelo usuário seja feita de maneira simples e segura em alguns cliques.

Colocando em exemplos práticos, são diferentes opções de pagamentos em lojas e aplicativos, serviços financeiros digitais de fintechs e bancos, armazenamento de dados em sistemas, dentre tantas outras funções que as APIs podem desempenhar. Não só é importante no mercado financeiro, como fundamental para manter o ecossistema vivo. 

E, não é atoa que as APIs são tão fundamentais no mercado financeiro, afinal, foi nele que se deu nascimento a partir da necessidade de simplificar processos extremamente burocráticos e dar maior controle às pessoas sobre suas finanças. 

Mas, para que API desempenhe sempre sua função da maneira correta, a administração deve ser de qualidade e preparada para suportar grandes picos de acesso. Pois, independente do tipo de API, se ela for mal executada, causará frustrações ao usuário. 

Portanto, recomenda-se sempre que empresas desenvolvam seus softwares de aplicação, escolhendo o que melhor atender às suas necessidades. Lembrando sempre de considerar os tipos de API existentes conforme a  usabilidade e disponibilidade. 

Agora que você já sabe o que é API, conheça as APIs para o mercado financeiro desenvolvidas pela Cedro Technologies. Possuímos diferentes opções para você potencializar o seu negócio! 

Deixe uma resposta