home Sem categoria Plataformas de investimentos e a experiência do usuário

Plataformas de investimentos e a experiência do usuário

Os Home Brokers são plataformas eletrônicas que permitem aos usuários realizar investimentos por meio de um sistema digital, geralmente via browser ou mobile. Os últimos 5 anos para o segmento de Home Broker no Brasil têm sido desafiadores. O segmento foi fortemente impactado pela recessão econômica brasileira que levou muitas corretoras a reverem seus modelos de negócio, investimentos em tecnologia e até mesmo o próprio negócio.

Os sistemas de Home Brokers tiveram início no Brasil em 1999 com o objetivo de incentivar o desenvolvimento do mercado de capitais e em 2008 se disseminaram rapidamente com o crescimento da economia brasileira. Em 2011, havia no Brasil cerca de 70 Home Brokers sendo ofertados. A maioria deles por corretoras, distribuidoras, bancos e alguns outros pelos agentes autônomos interligados à corretora.

A partir de 2011, com um cenário mais desafiador para a economia brasileira, muitos clientes deixaram de operar via Home Broker e o número de clientes caiu e isto inviabilizou o negócio em diversas instituições financeiras. Este cenário se tornou mais caótico com o passar do tempo. Algumas instituições, na tentativa de sobreviverem e crescerem, optaram pela estratégia de foco no preço do que na inovação e diferenciação. Então, reduziram margens operacionais e comissões (corretagem), o que culminou em prejuízos milionários para diversas corretoras.

Como em qualquer mercado, a relação oferta versus demanda é soberana. Até 2011 muitas instituições já haviam investido em negócios de Home Brokers, porém utilizando praticamente os mesmos sistemas, funcionalidades e modelos de negócios. Com o passar do tempo, estes sistemas e modelos se tornaram comoditizados. Assim, os clientes sem perceberem diferenciação entre um serviço de Home Broker e outro, passaram a buscar simplesmente preços, migrando de um Home Broker para outro.

Porém, como em qualquer mercado, há aqueles que superam a crise e conseguem crescer

A história nos mostra que o foco exclusivamente no preço não constrói riqueza. Após alguns anos analisando a atual situação do mercado, podemos constatar que as instituições que focaram na diferenciação e inovação lograram melhores êxitos do que aquelas que se apoiaram na estratégia de preços baixos.

A indústria se diferenciou de diversas maneiras. Algumas focaram em novos produtos de investimentos, outras na estratégia de educação financeira, em sistemas self-service totalmente digital, outras em relacionamento pessoal com a abertura de diversos escritórios e outras em serviços consultivos e análise de investimentos para apoiar a decisão dos clientes. Além da diferenciação da estratégia, algumas instituições passaram a focar na experiência do usuário (UX) e isto gerou um novo ciclo virtuoso para estas.

Plataformas de investimentos e a influência de UX

A experiência do usuário, do inglês User Experience (UX), envolve os sentimentos de uma pessoa em relação à utilização de um determinado produto, serviço ou sistema. A experiência do usuário destaca os aspectos afetivos, experiências significativas e valiosas de interação humano-computador e propriedade do produto (Fonte: Wikipedia). Assim, as instituições financeiras que se preocuparam em entender seus clientes (o que chamamos de Personas) puderam desenvolver melhores serviços de software e atendimento focados em seu público. Criaram serviços mais inteligentes, serviços digitais (Mobile First) e ambientes de fácil uso.

Esta é uma mudança importante que vem acontecendo no cenário de desenvolvimento de software: está se pensando mais em experiência de usuário do que em interfaces. O foco da produção se encontra agora no modo como as pessoas utilizam os sistemas e de que maneira tornar tudo isso mais positivo para todos os envolvidos.

Dentro deste conceito, diversas soluções, serviços para o varejo (Home Broker) e para o mercado financeiro, têm se destacado no mercado como a Magnetsis Investimentos, Vérios Investimentos, XP Investimentos, Toro Investimentos, EasyInvest, Rico.com.vc, Terra Investimentos e outros. Do lado de informação e análise podemos citar a Empiricus e como aplicativos a plataforma MyPush app e InfoMoney app, estes dois últimos foram desenvolvidos pela Cedro Technologies. Estes são apenas alguns exemplos de soluções e serviços que têm focado esforços em melhorar a experiência dos usuários.

Leia também sobre 5 razões para pensar na experiência do usuário em projetos de apps e conheça mais sobre as tecnologias Cedro para serviços de Home Broker e investimentos.

Esta tendência de focar na Experiência do Usuário permitirá que a indústria financeira se renove e ofereça melhores serviços de Home Broker. Ainda permitirá que dezenas de Fintechs (Startups de tecnologia com foco em serviços financeiros) possam surgir e prover serviços diferenciados.

Na Cedro, criamos uma divisão dedicada à Experiência do Usuário, especializada em mercado financeiro. Isto tem possibilitado que agentes autônomos, corretoras, assets, financeiras, bancos, seguradoras e outros participantes do mercado possam utilizar nossas soluções agregando diferenciais competitivos. Entre em contato e entenda como podemos ajudar.

Gostou? Compartilhe:

Rodrigo Santos

Rodrigo Santos

Rodrigo Santos é co-fundador e vice-presidente da Cedro Technologies. Atua desde 2005 no desenvolvimento de sistemas, banco de dados e produtos para o mercado financeiro.