O que é uma sandbox e quais são as vantagens para o seu negócio?

Para fazer a transformação digital do seu negócio, você precisa de soluções práticas e seguras, que atendam as necessidades da equipe e do cliente. Para isso, é importante que elas sejam testadas antes de serem aplicadas no ecossistema. É para isso que existe a sandbox.

Essa plataforma é muito útil para o trabalho de desenvolvedores e empresas de tecnologia, que podem realizar testes nas soluções sem necessariamente alterar o ambiente de produção. Mas o que exatamente é uma sandbox e para que serve?

Separamos este conteúdo para você entender tudo sobre essa ferramenta tão útil para testar tecnologias e novas funcionalidades. Confira a seguir o conceito e por que você deve começar a usá-la na sua transformação digital!

O que é uma sandbox? 

A sandbox é uma plataforma de testes onde as aplicações podem ser alteradas sem interferir no meio de produção. Nela, os desenvolvedores podem executar todas as operações de mudanças experimentais que vão garantir o bom funcionamento da solução, evitando danos que possam prejudicar o sistema ou o compliance das empresas.

As informações inseridas costumam ser fictícias, evitando prejuízos aos dados reais do negócio. Ao mesmo tempo, elas ficam protegidas do ambiente de produção, não podendo ser visualizadas por quem está do outro lado da plataforma.

As sandboxes replicam as funcionalidades e os códigos para testar os programas devidamente, criando um ambiente para os desenvolvedores expandirem a criatividade. Os profissionais podem então desenvolver novas funções e testar a aplicabilidade antes de enviarem-nas para o ecossistema real de produção.
As formas de uso são extensas, permitindo o acesso a uma database similar à original. Existem vários modelos de uso, desde a estabilização de uma funcionalidade para implementação à criação de variáveis para o sistema original, sendo importante conhecer o cliente para saber como otimizar o desenvolvimento das soluções.

Como funciona a sandbox 

A sandbox costuma ser criada a partir de um software de controle de revisão, como o CVS e o Subversion (SVN). Os desenvolvedores criam uma cópia dos códigos para trabalhar em cima e realizar os testes.

É necessário ter acesso à chave de segurança e ao token após realizar o cadastro digital e criar a conta na sandbox. Elas são geradas automaticamente e podem ser consultadas nas configurações. Então, a aplicação começa a rodar de maneira idêntica à solução em funcionamento real, mas direcionando para o ambiente de testes.
Os tokens devem nomear a URL com o nome de sandbox. Essa é uma regra que protege o ambiente de produção, que tem a sua própria URL válida. Assim, evitam-se chamadas para o aplicativo real.

A partir do momento em que as mudanças ficam prontas e são devidamente testadas na sandbox, os desenvolvedores podem aplicá-las no repositório, para que os usuários finais possam utilizar a nova versão.

Existem também sandboxes mais específicas, utilizadas para fins predeterminados no incentivo à transformação digital, como a sandbox para mecanismos de busca, que evitam problemas na base on-line de operações.

Cuidados para a implantação 

Há alguns cuidados que você precisa ter na hora de desenvolver a sua aplicação e realizar a implantação para melhorar a sua transformação digital. A sandbox existe para que você evite testar as mudanças no ambiente de uso, já que os usuários não podem parar o trabalho para essa execução.

Entre as medidas que devem ser praticadas, o desenvolvedor precisa interagir com a aplicação como se fosse o usuário final. Para isso, as contas fictícias de e-mail são essenciais, servindo para receber notificações e avisos dos testes e acompanhar todo o fluxo com uma visão completa do processo.

A ideia é simular a experiência do usuário final, certificando-se de que as mudanças realmente funcionam e trazem resultados. As observações validam a forma de recebimento dos e-mails, a formatação da estrutura, as informações apresentadas e todo o conteúdo que é inserido.

Outro cuidado com a implantação da aplicação é a filtragem das informações que vão ser repassadas para o ambiente real. Há muitos dados na sandbox e você precisa saber o que vai ser exibido para os usuários.

O ideal é priorizar o que eles realmente precisam para uma transformação digital de qualidade, dando prioridades na sequência de visibilidade nos e-mails — os pedidos ou os dados de reembolso, por exemplo. Lembre-se de que o aplicativo precisa ser funcional ou pode ser deixado de lado, sem uso.

Os testes tanto do desenvolvedor como até do cliente são essenciais para realizar a implantação, justificando a importância da sandbox.

6 benefícios para usar uma sandbox 

Com tudo que explicamos sobre a sandbox, muitos benefícios já ficaram nítidos. Porém, listamos a seguir os principais , reunindo-os de forma mais clara para que você entenda por que deve aplicar esse modelo de desenvolvimento nos seus projetos de soluções.

1. Aplicação de testes sem afetar o fluxo 

A grande vantagem da sandbox é poder realizar os testes de melhoria sem que o fluxo de trabalho seja afetado. Isso garante a integridade das soluções, evitando que os erros atrapalhem a produção.
Os desenvolvedores e integradores conseguem produzir melhorias tanto na funcionalidade da ferramenta como no design da experiência do usuário podendo corrigir e testar os erros antes que as mudanças entrem em funcionamento.

2. Ganho de tempo 

Para os usuários finais, fica inviável ter que parar a produção para realizar testes nas soluções. Ao usar uma sandbox, o fluxo do trabalho na transformação digital pode correr normalmente e as atividades continuam a acontecer em paralelo. Assim, há um ganho de tempo para os resultados do seu negócio e dos seus clientes.

3. Cumprimento das regras de uso

Outra vantagem é poder garantir as regras de uso das APIs de modo integral. Isso quer dizer que a aplicação no ambiente de produção opera de maneira íntegra e eficiente, sem atrapalhar a experiência na usabilidade.
Os próprios testes feitos na sandbox promovem essa garantia, já que os erros podem ser corrigidos e verificados antes da implantação.

4. Liberdade para desenvolvedores 

Os desenvolvedores também são beneficiados, já que ganham mais liberdade para realizar os testes, sem a pressão de serem vigiados. Eles se sentem mais tranquilos para criar porque podem errar e refazer os testes sem afetar o ambiente real de produção. Isso permite que o trabalho deles gere mais resultados.

5. Expansão da criatividade 

A liberdade para desenvolver consequentemente leva a uma expansão da criatividade, já que a possibilidade de errar permite um trabalho mais intuitivo. Assim sendo, os desenvolvedores podem aprender e ter insights criativos durante os testes, trazendo ainda mais melhorias para as soluções e tecnologias.

6. Ambiente para treinamentos 

Por fim, uma última vantagem que listamos é a possibilidade de realizar treinamentos de forma mais livre. Os usuários e agentes também podem utilizar a sandbox não só para avaliar as novas funcionalidades como para aprender a usá-las com mais assertividade e menos dificuldade possível, podendo também realizar as ações sem gerar consequências em eventuais erros de uso.

Agora que você já sabe como funciona uma sandbox e as vantagens dessa ferramenta para a ampliação da sua transformação digital, vai poder implantar as soluções nos seus negócios com menos preocupação. Independentemente da sua área de atuação, como serviços financeiros, os testes vão facilitar a vida da sua equipe.
Deixe que os seus desenvolvedores resolvam todos os problemas e realizem melhorias enquanto as equipes utilizam as soluções no ambiente de trabalho! Para mais dicas e informações sobre tecnologias e transformação digital, acompanhe o nosso blog e confira os nossos conteúdos exclusivos.