Fraude no e-commerce: conheça 5 tipos e como evitar

8 / 09 / 2022

fraude-no-e-commerce

Mesmo com o e-commerce em constante crescimento, os donos de lojas virtuais ainda têm uma grande preocupação: o número de fraudes que só aumenta a cada ano e prejudica o lucro dos negócios.

Segundo uma pesquisa da ClearSale, o crescimento da fraude no e-commerce, na comparação entre o primeiro trimestre de 2021 e de 2022, foi de 23,6%.

Apenas no 1º trimestre de 2022, o varejo digital já registrou 785 mil pedidos potencialmente fraudulentos.

Além do enorme prejuízo financeiro, a loja virtual também pode acabar sendo vista de uma forma negativa, afastando os consumidores.

Saiba, neste artigo, quais são os principais tipos de fraude e como evitá-las aliando boas práticas e tecnologia.

O que é fraude no e-commerce?

A fraude no e-commerce é qualquer tipo de ato que tenha a intenção de prejudicar o seu negócio. Ou seja, usar um cartão de crédito roubado, utilizar uma identidade falsa ou entrar na conta de terceiros para fazer compras são exemplos de fraudes no comércio eletrônico.

E, em todos esses casos, a sua loja absorve os custos, afetando negativamente sua receita.

Parte do motivo pelo qual a fraude no comércio eletrônico é tão prevalente hoje é porque muitos golpes são tão sofisticados, que na maioria das vezes o criminoso não é pego.

Por isso, é fundamental aliar o uso de um sistema antifraude a boas práticas de segurança.  Mas, antes de analisarmos as estratégias de combate, vejamos os tipos mais comuns de fraude em uma loja on-line.

5 tipos de fraude no e-commerce

É importante lembrar que a fraude no e-commerce tem relação direta com os chargebacks, que nada mais são do que a contestação de compra que os clientes realizam junto aos seus bancos.

Contudo, nem sempre o chargeback ocorre por motivo de fraude - explicaremos mais a seguir. Confira, a seguir, os principais tipos de golpes em lojas virtuais.

1. Fraude de interceptação

A fraude de interceptação ocorre quando os golpistas fazem pedidos em seu site por meio de um cartão de crédito roubado.

Uma vez que o pedido é feito, eles interceptam o pedido quando ele está a caminho do endereço de entrega e levam as mercadorias.

Isto pode ser feito de várias maneiras:

  • Os golpistas podem pedir a um representante de atendimento ao cliente em sua empresa para alterar o endereço do pedido antes de enviá-lo;
  • Outra possibilidade é o contato direto com a transportadora ou correios para redirecionar o pacote para um outro endereço;
  • Se moram perto da vítima, podem até esperar e receber a entrega física do pacote como se fossem o cliente.

2. Fraude de teste de cartão

Já o teste de cartão é uma sofisticada fraude no e-commerce. Ela ocorre quando um indivíduo obtém acesso a um ou mais números de cartão de crédito roubados, por meio de roubo ou compra de dados na dark web.

Mesmo que tenham os números do cartão de crédito, eles não sabem se os números do cartão podem ser usados ​​para concluir uma transação com sucesso ou o limite associado a esse cartão de crédito.

Então, são realizados testes. Eles escolhem uma loja virtual e fazem pequenas compras de teste, geralmente usando scripts ou bots para testar rapidamente vários números de cartão de crédito.

Uma vez que eles descobrem que um número de cartão de crédito funciona, compras maiores são realizadas.

3. Roubo de identidade

No primeiro semestre de 2022, o Brasil registrou mais de 5 mil tentativas de fraude de identidade por hora, segundo levantamento realizado pela Idtech Unico.

Nesse tipo de fraude do e-commerce, os golpistas usam a identidade de outra pessoa para criar cartões de crédito e realizar compras on-line. Como os dados são válidos, a identificação é dificultada.

4. Aquisição de conta

A fraude de aquisição de conta ocorre quando alguém obtém acesso à conta de um usuário em uma loja de comércio eletrônico ou site. Isso pode ser alcançado por meio de vários métodos, desde a compra de senha roubada na dark web até por meio de um esquema de phishing.

Depois de obter acesso à conta de um usuário, eles alteram o endereço de entrega e realizam compras com o cartão do cliente.

5. Fraude amigável

A fraude amigável é quando alguém compra um item ou serviço on-line e, em seguida, solicita um estorno, alegando que a transação era inválida. As operadoras de cartão de crédito ou banco devolvem o valor da compra ao cliente, que ainda deve ser paga pelo lojista.

Geralmente, esse golpe é usado para receber itens gratuitamente alegando coisas como:

  • Argumentar que o item nunca foi entregue;
  • Informar ao emissor do cartão de crédito que o item foi devolvido ao comerciante e solicitar o reembolso.

Também pode ocorrer do consumidor não reconhecer o nome da loja que aparece na fatura e pedir, erroneamente, o reembolso.

Como evitar fraude no e-commerce?

Agora que você já conhece os tipos de fraude no e-commerce que acabam minando o lucro da sua loja virtual e impedindo-a de crescer, confira a seguir como evitar esses golpes.

Invista na segurança do seu site

A segurança no site é fundamental para conceder tranquilidade ao consumidor, passar credibilidade e prevenir fraudes. Para isso, invista em:

  • Certificado SSL (Secure Sockets Layer): concede uma conexão criptografada, limitando a atuação de hackers e garantindo a privacidade das informações;
  • Meios de pagamentos confiáveis: assegure-se de que os meios de pagamento utilizados são seguros, possibilitando uma compra onde não há risco de vazamento de dados;
  • Adeque o seu e-commerce à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais): verifique se a sua loja está cumprindo as normas determinadas pela lei. Ao estar de acordo, fraudes e vazamento de dados são prevenidas.

Atente-se ao ticket médio

Ao saber o ticket médio do seu e-commerce, é possível observar com mais atenção as compras que possuem um valor muito superior.

Por exemplo, digamos que o valor médio que os clientes gastam na sua loja virtual é de R$ 200. Nesse caso, compras acima de R$ 500 são suspeitas, principalmente se ocorrerem sem o estímulo de uma grande promoção ou data comemorativa.

Conte com um sistema antifraude

Investir na segurança e conhecer o ticket médio da sua loja virtual têm sua importância. Contudo, essas ações não serão suficientes frente à sofisticação da fraude no e-commerce atualmente.

Nesse sentido, o ideal é aliar esses fatores à tecnologia, contando com um sistema antifraude.

A solução antifraude agirá cruzando e analisando várias informações do consumidor, como padrões de compra, dispositivos utilizados, localização e muito mais.

Dessa maneira, é possível avaliar com tranquilidade e segurança quando uma compra é legítima. Ou, ainda, detectar quando há algo realmente suspeito e investigar de forma minuciosa.

Se confirmada a possibilidade de fraude, o sistema bloqueia a compra automaticamente.

Além disso, no caso de suspeita de roubo de identidade, é solicitada ao usuário uma selfie na hora, que será analisada pela funcionalidade Face Match para validar se aquela pessoa é quem diz ser.

Evite a fraude no e-commerce e aumente seu lucro. Conheça o Data Engine.

Deixe uma resposta