Como validar a ideia de uma Startup?

24 / 08 / 2016

Fico muito feliz quando recebo e-mails de empreendedores espalhados por todo o Brasil compartilhando suas ideias, projetos ou fazendo os mais variados questionamentos sobre como validar a ideia de uma startup. É um momento que aprendo muito, pois consigo não só compartilhar o que já vivi, mas também receber ideias e feedbacks que posso implementar na Cedro. Cada um de nós tem uma experiência diferente para agregar. Esta troca é fantástica e todos saem ganhando.

Vários empreendedores me fazem as mesmas perguntas diariamente: “devo sair do meu emprego agora ou esperar validar a ideia da minha startup?”; “Será que consigo definir a ideia da minha startup estando ainda empregado?”; “É melhor esperar o aplicativo da minha startup ficar pronto para pedir demissão?”; “Como eu testo se a minha ideia é funcional?”.

São perguntas como estas, verídicas, que precisam ser respondidas. Talvez a sua pergunta não seja alguma destas, mas seja “Como posso inovar em minha empresa?” ou “Como posso ganhar mercado com o meu atual projeto?”.

Independentemente de sua posição ou situação, quero compartilhar um pouco de minha visão e como validamos novos produtos ou serviços no mercado, antes de embarcarmos de vez no projeto.

O modelo atual pede inovação e agilidade

Aprendi na universidade (2004) que tínhamos que elaborar, antes de tudo, um plano de negócios para abrir uma empresa ou criar um novo produto, com dezenas de páginas descrevendo a ideia, produto, mercado, receita e várias outras análises.

Hoje, trabalhamos com propostas mais enxutas para validar ideias e que demonstram melhores resultados e menos erros.

Eu fiz diversos projetos e para muitos tudo isto deu certo. Não existe apenas uma maneira de validar sua ideia, são várias metodologias: Lean UX, Canvas, MVP e outros. Com o tempo identificará a melhor maneira para sua ideia.

Mas afinal, como validar a ideia de uma startup?

Acompanhe 7 itens que deverão ser executados em paralelo:

1 – Faça entrevistas e converse

Entreviste o máximo de possíveis usuários e prospects da solução. Converse para colher feedbacks, avaliar e melhorar sua ideia com novos insights. Deve ser um momento de profundo entendimento do seu potencial cliente e do mercado.

O processo de entrevistas, validação das ideias e novas entrevistas é fundamental para que a sua ideia seja testada com um pequeno grupo de receptores de sua informação.

Por exemplo, quando estávamos discutindo o desenvolvimento da plataforma MyPush (disponível para iOS, Android e Windows Phone), fizemos mais de 100 entrevistas e reuniões de apresentação da ideia, validação, feedback e reapresentações.

2 – Avalie o problema real

Avalie se a solução que você está propondo implementar resolve um problema real de um nicho de mercado.

Qual o problema real que você quer resolver? O problema é de fácil percepção por seu cliente? Você precisa ajudá-lo a reconhecer que tem um problema? Se sim, como irá fazê-lo? Qual a proposta de valor de sua solução? Se há um problema real, quais são as soluções já existentes que mais se aproximam do que você está propondo? O que o mercado acha destas soluções?

São perguntas e mais perguntas que você deve fazer com o objetivo de ter claro que estará desenvolvendo algo realmente funcional.

Quando iniciamos o desenvolvimento do MyPush app, identificamos diversos problemas reais tanto do lado dos usuários de aplicativos como do lado das organizações que precisavam entregar conteúdos, notificações e serviços em dispositivos móveis. Propomos então a criação de uma plataforma 100% gratuita que resolvesse parte destes problemas. Depois de 6 meses de muita validação, lançamos a primeira versão beta do produto.

3 – Prototipe e valide a ideia

Evite sair fazendo. Você já tem uma ideia apresentada e diversos feedbacks. Já tem um problema real mapeado. Agora crie protótipo para ter algo mais palpável.

A prototipação é um passo fundamental do negócio. Faça o desenho de seu produto, mostre para os amigos, familiares e mais potenciais clientes. Valide o protótipo e usabilidade que você deseja oferecer no produto e se realmente precisa de tudo que estava idealizando.

Crie um wireframe em papel e depois um navegável. Vá melhorando e capturando feedbacks. Peça um feedback honesto sobre o que você está propondo e permita que as pessoas critiquem.

4 – Conheça o mercado e competidores

Você já tem apresentado a sua ideia para dezenas de pessoas e potenciais clientes. Já tem um protótipo funcionando. É importante agora levantar mais informações do mercado, tamanho e competidores. Você já sabe que há um problema real a ser resolvido. Qual é o tamanho do mercado que existe? Vale a pena avançar com o desenvolvimento de algum projeto dentro deste mercado? Quais são os competidores existentes? Há competidores que facilmente entrariam em seu mercado? Quais são as barreiras de entrada que você poderia criar para proteger este seu mercado?

5 – Investimento X retorno

Qual será o investimento? Ninguém constrói uma casa sem saber se conseguirá concluí-la. Quais recursos financeiros, tecnológicos e humanos o seu projeto irá requerer? Você tem condições de implementar este projeto?

Por experiência própria, todos os nossos novos produtos/serviços de tecnologia levaram pelo menos 2 anos para gerarem alguma receita relevante. Qual retorno você espera deste produto?

6 – Seja ágil

É importante agilidade no levantamento de ideias, validações e apresentação de protótipos. Você precisa dar ritmo ao trabalho. Ninguém quer receber alguém que compartilhe sobre uma ideia e depois de 2 anos o encontrar ainda validando esta ideia. Dificilmente um projeto irá para frente desta maneira.

Anote tudo que você capturar, dê foco e vazão ao trabalho.

7 – Mantenha comunicação

Resguardando a devida confidencialidade do que podemos ou não abrir para o mercado, eu gosto de manter informados os parceiros e potenciais usuários que visitei desde o início. A comunicação constante, seja por e-mail, mantém estes parceiros próximos e possivelmente engajados para que quando o produto estiver no mercado, possam ser os early adopters da solução.

Early adopters são um tipo específico de consumidores que procuram soluções para os seus problemas cotidianos, dispostos a comprar o seu produto ainda no começo do desenvolvimento. Eles têm a visão do que o seu produto pode se tornar e acreditam em você e na sua empresa.

De forma geral, são entusiastas da tecnologia que gostam de ser o primeiro a testar um novo produto. Eles poderão continuar gerando insights e contribuindo com as demais fases do produto.

 

Gostou das dicas de como validar a ideia da sua startup? Fique à vontade para entrar em contato e compartilhar sua experiência conosco. @leoreis no MyPush app ou me envie um email para leonardo.reis@cedrotech.com