home Sem categoria Chatbots transformam a maneira como as fintechs entregam valor

Chatbots transformam a maneira como as fintechs entregam valor

Com o avanço da transformação digital, uma série de novas tecnologias têm sido utilizadas por empresas de vários segmentos. No mercado financeiro, a inteligência artificial já mudou a maneira como bancos trabalham, prestam serviços e se relacionam com os seus clientes. Seguindo a mesma tendência, as fintechs também começaram a explorar o potencial das tecnologias disruptivas.

O uso dos chatbots, por exemplo, permite que as startups financeiras melhorem a experiência do cliente. Isso porque eles facilitam o gerenciamento de demandas financeiras complexas, otimizam os processos, simplificam a resolução de problemas e permitem às fintechs conquistar maior participação de mercado e gerar mais receita.

Com o uso estratégico dos chatbots pelas fintechs, a inteligência artificial se tornou uma força disruptiva que está transformando a maneira como as startups financeiras entregam valor para o cliente.

Quer conhecer o potencial inovador dos chatbots para as fintechs? Continue lendo este artigo! Veja em quais processos os assistentes virtuais podem fazer toda a diferença.

 

#1 Revisão de contratos

Essa é uma das tarefas que exige atenção e tempo dos profissionais das fintechs. Especialmente os advogados e os agentes de empréstimos dedicam horas a fio à interpretação dos contratos de empréstimos comerciais. Ou seja, trata-se de um tipo de trabalho que requer alto nível de conhecimento, é caro e, mesmo assim, está suscetível a erros.

Para simplificar essa tarefa, os chatbots são perfeitos. Eles permitem que os bancos processem contratos de empréstimo em uma fração do tempo que levaria a um ser humano e o melhor: com a garantia de conformidade, ou seja, sem erros.

#2 Auxílio na organização das finanças dos clientes

Infelizmente, muitos clientes têm dificuldade de manter as finanças em ordem por conta de decisões erradas, tomadas com base em emoções, que tendem a sabotar sua saúde financeira. A boa notícia é que os chatbots podem ajudar estes clientes também! 

Isso porque os bots rastreiam as transações, compreendem os hábitos de gastos e criam dicas financeiras perfeitas para os clientes, ajudando-os a gerenciar e economizar dinheiro. 

Na prática, os bots podem auxiliar os clientes por meio de uma série de ações:

  • Orientam os clientes no gerenciamento diário de caixa;
  • Informam sobre o status do orçamento em intervalos regulares;
  • Lembram pagamentos pontuais;
  • Entregam atualizações do portfólio de investimentos. 

Tudo isso ajuda os clientes a tomar decisões mais inteligentes sobre os gastos. Seguindo essa proposta, para auxiliar os correntistas no planejamento financeiro, o Bank of America lançou o chatbot Erica. Ele usa análise preditiva e tecnologia de mensagens cognitivas para orientar financeiramente e fornecer mensagens personalizadas para mais de 45 milhões de clientes.

#3 Detecção e prevenção de fraudes

Em tempos de big data, com dados de milhares de clientes na nuvem, tudo o que uma fintech não precisa é ver a sua estrutura de segurança comprometida. No entanto, involuntariamente e ilegalmente, as fraudes ocorrem e o número delas só aumenta. 

Neste contexto, os chatbots podem ser a solução ideal para detectar as atividades fraudulentas e mais: para evitá-las de forma automatizada em tempo real, impedindo o ataque de cibercriminosos.

Na prática, os bots monitoram continuamente todas as atividades bancárias de cada cliente. Diante da tentativa ou ocorrência de uma fraude, os clientes são avisados ​​instantaneamente por meio de aplicativos de mensagens. Eles ainda recebem as etapas que devem seguir para a resolução daquela fraude.

#4 Melhora o envolvimento com o cliente

Cada vez mais, os clientes exigem serviços excepcionais do banco, que incluem serviços personalizados com base nos padrões de gastos e economia dos clientes, uma gama completa de atendimento ao cliente 24 horas por dia, sete dias por semana.

Neste contexto, os chatbots permitem que as fintechs ofereçam muito mais do que serviços bancários digitais, usando a inteligência artificial

Quando utilizados com estratégia, os bots impulsionam o conteúdo relevante e testam continuamente o nível de interesse do cliente na resposta fornecida. Essas tentativas geram níveis mais altos de envolvimento do cliente. De tal modo, os chatbots ajudam as fintechs a impulsionarem o engajamento do seu público.

#5 Chatbot do JP Morgan é referência

Muito além de aplicar os chatbots no atendimento, as instituições financeiras também estão pensando em como a tecnologia pode ser usada para melhorar a eficiência operacional, especialmente automatizando tarefas repetitivas, rotineiras e demoradas.

O chatbot do JPMorgan é um case referência: ele economiza milhares de horas para a empresa, antes dedicadas à revisão de contratos.

Lançado em 2017, o COiN (abreviação de Contract Intelligence) é um bot que usa processamento de linguagem natural para analisar solicitações humanas e processar contratos de empréstimos comerciais. Ele revisa em apenas alguns segundos os documentos que antes exigiam horas de uma equipe de trabalhadores humanos.

O bot foi treinado para “extrair 150 atributos relevantes” dos contratos de crédito comercial que analisa, ajudando a mitigar os 80% dos erros de serviço de empréstimos causados ​​por falhas na interpretação de contratos. Atualmente, o bot revisa, em média, 12 mil contratos por ano, economizando cerca de 360 mil horas de trabalho.

O case da JPMorgan confirma que priorizar o desenvolvimento de estratégias com aplicativos de inteligência artificial é necessário para empresas que desejam crescer. Assim, é possível se manter em destaque com melhores serviços, desempenho aprimorado e aumento de receita. 

Você está pronto para usar as novas tecnologias disruptivas com o objetivo de transformar, competir e entregar valor para o cliente? A hora de começar essa revolução é agora!

Nesse caso, deixe o chatbot iniciar uma conversa e explorar as infinitas oportunidades para você. Conheça os chatbots da Cedro e entenda por que essa é a melhor alternativa para o desenvolvimento da sua fintech.

Gostou? Compartilhe:

Letícia Barcelos

Letícia Barcelos

Formada em Sistemas de Informação e Product Owner do PEOPLE na Cedro Technologies, entusiasta de novas tecnologias.