home Sem categoria Chatbots e Employer Branding: como eles ajudam na estratégia

Chatbots e Employer Branding: como eles ajudam na estratégia

Os colaboradores são os primeiros consumidores de uma empresa. Eles materializam para os clientes e o mercado, os valores e diferenciais da companhia onde trabalham. E são fundamentais para difundir a marca e a reputação da empresa como um bom local ou não para se trabalhar. Tanto que o conceito de employer branding vem ganhando espaço na agenda de muitas empresas.

Entretanto, de nada adianta investir em diversas ferramentas de marketing ou endomarketing se os próprios colaboradores não perceberem o valor do que está sendo desenvolvido.

Ambos os conceitos estão ligados ao RH e ao Marketing, a fim de facilitar o acesso aos canais de comunicação da empresa. Muitas ações são desenvolvidas nas redes sociais das empresas, mas algumas não atingem o público-alvo como deveriam. 

Por isso, uma das estratégias mais modernas é usar a Inteligência Artificial por meio dos chatbots. Ferramenta transformadora nos negócios, um chatbot eficiente pode potencializar o trabalho de inúmeras áreas, até mesmo da comunicação interna e do recrutamento de RH. 

Veja neste artigo como o uso inteligente dos chatbots nos canais da empresa pode trazer bons resultados.

O que é o conceito de employer branding

Em uma tradução literal, o termo employer branding significa ‘marca do empregador’. Conceitualmente, employer branding é relativamente similar ao endomarketing. Trata-se de um conjunto de ações de marketing voltadas para trabalhar a imagem de marca empregadora de uma empresa.

Com isso, os colaboradores veem a empresa como ótima alternativa para o desenvolvimento do seu potencial e valorização profissional. E a disputa de vagas entre os candidatos mais talentosos fica acirrada, enquanto os atuais funcionários se empenham cada vez mais para se manter no time.

A marca de empregador da sua organização pode parecer difícil de medir, mas seu impacto na tomada de decisões do candidato não é. 

Segundo o LinkedIn, 75% dos candidatos a emprego consideram a marca de empregador de uma empresa antes de decidir se candidatar a uma posição.

Se assim mesmo sua empresa não se interessa pelo assunto, fique sabendo que o mesmo estudo mostra que as empresas que constroem uma marca de empregador forte colhem vantagens claras: 50% mais candidatos qualificados, contratam duas vezes mais rápido e reduzem o custo por contratação em 50%.

Veja alguns pontos em que o employer branding pode impactar o cotidiano da sua empresa:

  • Redução dos custos de atração de talentos;
  • Atração de candidatos ideais;
  • Redução do esforço de Recursos Humanos;
  • Aumento na percepção da marca como um todo;
  • Conquista de colaboradores defensores.

Semelhança entre employer branding e endomarketing

Enquanto o employer branding procura atrair talentos para as empresas, o endomarketing complementa as propostas de valor oferecidas, melhorando a comunicação e a imagem da organização entre os colaboradores. Além disso, ainda motivam a equipe, aumentam a produtividade e reduzem os índices de rotatividade e absenteísmo. 

Ao conquistar seu público interno, a empresa consegue alcançar até mesmo os profissionais mais desejados do mercado, pois todos querem trabalhar em um lugar onde são valorizados. 

Colaboradores satisfeitos falam dos benefícios implementados pela organização e as associam a um ótimo lugar para se trabalhar. Ao contrário, se estão insatisfeitos, revelam práticas que podem colocar em risco a imagem da marca. 

Vale ressaltar, no entanto, que o endomarketing não se resume a criar campanhas de marketing. Na verdade, esta é uma estratégia que deve unir duas áreas muito importantes na empresa: recursos Humanos e o time de Marketing. O RH precisa conhecer as necessidades dos funcionários para transformar os problemas em oportunidades. 

Por que adotar estratégias de employer branding

Falar de employer branding é contar histórias verdadeiras sobre a empresa e os colaboradores. Muito mais do que ter um ambiente descontraído, flexibilidade de horário e happy hour, é preciso entender quais são os diferenciais da companhia e o que é esperado em termos de perfil. 

Também precisam saber que expectativas os atuais funcionários têm, dando voz a cada um e os ouvindo. Só assim é possível criar uma proposta de valor que seja positiva para ambos os lados.

Outra coisa: altos salários, benefícios e planos de carreira já ficaram para trás no ranking dos desejos dos melhores profissionais. 

Segundo reportagem publicada no The New York Times, os talentos da geração Z com ensino superior não demonstram interesse em trabalhar em grandes empresas de tecnologia como Google e Facebook. Na verdade, estão preferindo aplicar suas habilidades técnicas em empresas menores, mas com impacto social.

Eles dizem, na entrevista, que ao buscar uma nova vaga de emprego, consideram antes a responsabilidade social de uma companhia. Além disso, podem deixar  rapidamente o cargo se a empresa não atender aos seus padrões.

Diante disso, podemos concluir que o mindset dos profissionais da atualidade é outro.

Para implementar a estratégia, é preciso definir algumas ações: 

  • Objetivos e estratégias: obviamente aqui é preciso traçar como serão implementadas as ações. 
  • Engajamento: para que o employer branding funcione, a participação da liderança é essencial, uma vez que se trata de uma mudança cultural. 
  • Integração: todas as áreas devem participar, pois o conceito envolve toda a empresa.
  • Acompanhamento: às vezes, tarefas consideradas agradáveis pelas lideranças podem não ter o mesmo efeito com o resto do time. Aqui, a dica é dar voz às pessoas para entender suas necessidades e expectativas.

Chatbot no RH: fortalecendo o employer branding

 Os chatbots, ou assistentes virtuais, são ferramentas conversacionais que viabilizam a interação entre humanos e máquinas. Usando a técnica de machine learning, a ferramenta pode aprender padrões, identificar informações e gerar respostas rápidas e em tempo real.  

Ao empregar a inteligência artificial nos recursos humanos da sua empresa com o uso de chatbots, você promove o employer branding das seguintes formas:

  • Melhora a percepção da empresa interna e externamente;
  • Atrai, identifica e retém talentos;
  • Cria experiências rápidas e intuitivas para os candidatos a uma vaga;
  • Promove a independência dos colaboradores na busca de informação por meio do autosserviço;
  • Aumenta a participação e satisfação dos funcionários;
  • Promove treinamentos de maneira descomplicada. 

Democratização da função do RH

Os chatbots de RH estão se tornando assistentes inteligentes para gerentes de RH, o que significa que o ‘trabalho pesado’, antes delegado a estagiários ou novos recrutas, agora será automatizado. Além do mais, eles garantem que os funcionários de toda a organização tenha igual acesso aos dados e desfrutem do mesmo nível de atenção dos profissionais de RH. 

Os funcionários também tendem a ser mais abertos com suas queixas, pois os chatbots de RH prometem disponibilidade 24 horas por dia, 7 dias por semana e privacidade absoluta. As empresas que optam pelos chatbots de RH, portanto, podem falar de uma cultura de trabalho transparente, inclusiva e democratizada – reforçando sua percepção no mercado de trabalho.

Muitas organizações já utilizam os chatbots para oferecer uma experiência de atendimento muito melhor, tanto para clientes externos como para os próprios colaboradores.

Se você deseja avançar na implementação do employer branding, conheça a PEOPLE, plataforma de chatbots com inteligência artificial e atendimento omnichannel desenvolvida pela Cedro Technologies

Gostou? Compartilhe:

Thamara Araújo

Thamara Araújo

Especialista em Conteúdo na Cedro Technologies

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *