home Sem categoria Bots são treinados para identificar imagens e vídeos

Bots são treinados para identificar imagens e vídeos

A inteligência artificial avançou muito e agora os bots já são capazes de reconhecer imagens e vídeos. Isso dá a eles diferentes utilizações nas empresas, como o uso em plantações e processos de seleção de candidatos.

O machine learning permite que os robôs pensem cada vez mais por conta própria, contribuindo em diferentes setores de negócios. Quer entender melhor como estão os avanços da tecnologia nessa área? Acompanhe!

Machine learning aplicado às plantações

Um estudo desenvolvido por cientistas brasileiros tem o objetivo de criar tecnologia para as máquinas agrícolas realizarem o reconhecimento de plantas. A pesquisa da Embrapa quer recriar espécies usando três dimensões com as técnicas de robótica e inteligência artificial.

Com esse processo, a empresa busca fazer o desenvolvimento em 3D das estruturas das plantas, ou seja, de toda a sua composição: folhas, caules, flores ou frutos. Por meio dos dados coletados, as equipes de cientistas fazem análises para aperfeiçoar a genética das espécies.

Os cientistas já realizam experimentos com milho e uva para gerar um conhecimento digital nessa área. Eles utilizam robôs e drones para os testes e técnicas de aprendizagem da máquina para estimular o reconhecimento de padrões com base nas observações das plantas.

Assim, o machine learning permite a utilização da base de dados e o processamento das imagens para reconhecer as diferentes culturas e suas particularidades.

No futuro, espera-se que o produtor possa utilizar essas soluções para ter uma estimativa de produção com base nas características das plantas, pragas presentes na região e a produtividade do solo.

Pesquisa por voz

O Baidu, mecanismo de busca chinês, está investindo em inteligência artificial para fazer pesquisa por voz e desenvolver outras tecnologias diferenciadas. A empresa está criando uma rede neural profunda para gerar vozes sintéticas para imitar as falas das pessoas.

A expectativa é que as máquinas aprendam acentos, pronúncias e diferentes tons para recriar a forma de pronunciar as palavras. A intenção é que esse conhecimento possa contribuir para oferecer resultados mais expressivos nas pesquisas feitas pelos usuários, sem interferências de sotaques, por exemplo.

Tecnologia na saúde

Em breve, os portadores de doenças crônicas poderão monitorar o próprio organismo para identificar possíveis problemas. As informações serão encaminhadas automaticamente para o médico que os acompanha. Assim, se houver necessidade, o profissional poderá recomendar que o paciente faça um repouso ou solicite uma ambulância, por exemplo.

Se o paciente fizer uma cirurgia e apresentar alguma complicação, um biossensor poderá ser utilizado para identificar a causa da infecção. Esse tipo de tecnologia permite que os médicos possam atender mais pacientes em menos tempo.

Muitas tecnologias já existem para otimizar o atendimento médico e dar mais segurança aos diagnósticos. Faltam ainda investimentos por parte das instituições e uma mudança no comportamento das pessoas e das regras para o uso de tecnologias e consultas remotas.

Uma das utilizações do Watson, robô da IBM, é contar com um algoritmo para ajudar no tratamento de câncer. A plataforma usa a inteligência artificial e seu conhecimento na literatura científica, dados clínicos e genéticos do paciente para recomendar determinado tratamento médico. O software não aponta qual é a melhor opção, apenas indica quais são as alternativas e o risco de cada tratamento e seus efeitos colaterais.

Outra solução tecnológica na área da medicina é o bisturi inteligente. Ele possibilita que os cirurgiões realizem uma retirada precisa de um tumor, pois o equipamento faz uma busca do tecido comprometido. A ferramenta também efetua a cauterização, capta a fumaça e envia os dados para a análise química. Assim, é possível avaliar em poucos segundos se o material era cancerígeno ou não.

Bots identificam imagens em vídeos

Os robôs inteligentes já são capazes de reconhecer vídeos usando o deep learning e uma base de dados. Ao serem “alimentados” com informações eles são capazes de identificar ações e perfis das pessoas.

Essa inteligência já é utilizada em processos de seleção de candidatos. As empresas podem solicitar para os participantes gravarem vídeos respondendo a determinadas perguntas, e os bots fazem a análise do perfil dos profissionais.

Com isso, as companhias podem selecionar o colaborador com mais eficiência e com informações precisas, pois os robôs analisam tudo de forma objetiva.

A expectativa é que os bots sejam capazes de acompanhar as rotinas das pessoas, identificar as diferentes ações e depois realizá-las da mesma forma ou apresentar a melhor solução para um problema.

Até o momento, os robôs já são capazes de fazer um reconhecimento da própria “face” no espelho, o que já é considerado um grande avanço do machine learning. Essa característica já indica um sinal de inteligência, a mesma encontrada em primatas e seres humanos.

Seguindo esse conceito do uso de tecnologia para ajudar os seres humanos, um hospital brasileiro investiu na criação de um sistema inteligente para os casos de riscos aos pacientes. O projeto utiliza sensores para evitar que os internados caiam de seus leitos, por exemplo.

Os cientistas trabalham de maneira ativa para estimular os robôs a pensarem por conta própria, sem que eles precisem ser abastecidos com informações para que possam ter suas próprias conclusões.

Robôs fazem prova de vida

As máquinas inteligentes também são capazes de auxiliar no processo de reconhecimento de prova de vida dos aposentados. Basta as pessoas realizarem uma foto com o celular e fazer o encaminhamento para as instituições financeiras, por exemplo. Assim, o profissional do banco recebe a imagem e já pode atualizar o cadastro. Tudo de forma rápida e simples.

Para implantar essa tecnologia nas empresas, é importante contar com um parceiro especializado em realizar a implantação dos bots de acordo com as aplicabilidades necessárias na organização.

Na área de RH, por exemplo, a solução pode ser adotada para acompanhar o desenvolvimento dos profissionais e esclarecer dúvidas sobre o período de férias ou os benefícios oferecidos pela empresa.

Os Fundos de Pensão podem usar o recurso para esclarecer dúvidas dos usuários durante as 24 horas do dia. Os bancos também percebem o benefício do robô inteligente para criar contas digitais, melhorar a experiência dos clientes e reduzir custos.

Quer saber mais sobre o assunto? Entenda as vantagens de usar o machine learning nos negócios!

Gostou? Compartilhe:

Equipe Cedro

Equipe Cedro

Empresa focada em tecnologia e referência em inovação para o mercado financeiro e em soluções de TI e mobile.