Antifraude para e-commerce: saiba como ele protege sua loja virtual

26 / 07 / 2022

antifraude-para-e-commerce

Assim como uma loja física precisa estar protegida dos riscos de ser roubada por criminosos, uma loja virtual também precisa tomar certos cuidados. Com transações financeiras e diversos dados de empresas e clientes circulando pela internet, é fundamental que uma plataforma de e-commerce fique protegida das fraudes on-line.

O Brasil é um dos principais alvos de golpistas virtuais, sofrendo em 2021 R$ 5,8 bilhões de tentativas de fraudes, de acordo com o Mapa da Fraude. Os prejuízos sofridos pelas empresas podem prejudicar consideravelmente a estrutura financeira de um negócio e sua reputação.

Nesse artigo, você vai aprender como um sistema antifraude no e-commerce atua na proteção de um negócio virtual. Também vai entender os benefícios de usar esse recurso tecnológico para proteger uma loja on-line.

Tenha uma ótima leitura!

O que é um sistema antifraude

Como o próprio nome sugere, uma ferramenta antifraude é um sistema que, por meio da inteligência artificial, consegue identificar automaticamente transações suspeitas em lojas virtuais. As análises da plataforma de vendas são realizadas pela ferramenta tecnológica a partir do cruzamento de dados e de padrões de compra, para poder detectar possíveis golpes e prejuízos.

Quando for identificado o risco de fraude na compra, ela é bloqueada automaticamente. O recurso é útil principalmente quando uma loja tem um fluxo maior de pedidos em sua rotina, ou mesmo em datas mais movimentadas, como Dia das Mães, Black Friday, por exemplo, e realizar as análises manualmente é praticamente impossível.

Se o empreendedor escolher a análise manual, para detectar transações suspeitas, terá uma resposta mais lenta e pouco precisa na negociação. O que pode afetar a experiência de compra do cliente, além de deixar sua loja desprotegida.

Como funciona o antifraude no e-commerce na prática

Em um comércio eletrônico, a solução antifraude vai agir cruzando informações de inúmeras fontes, analisando uma série de fatores, como dados pessoais do comprador, localização e padrões de comportamento, tanto da pessoa, quanto do dispositivo que estiver sendo usado.

Dessa maneira, é possível avaliar quando a compra é legítima, podendo ser liberada, ou, em casos suspeitos, realizar análises mais minuciosas. Quando for confirmada a presença de fraude, a negociação é bloqueada pelo sistema.

Para que um sistema antifraude no e-commerce realize suas análises da forma mais assertiva possível, uma série de funcionalidades tecnológicas são colocadas em prática. As principais são:

Geolocalização

Como a loja é virtual e os compradores podem ser de regiões distintas, um sistema antifraude no e-commerce deve funcionar com base na geolocalização para rastrear a origem da compra, cruzando com o histórico de localização do usuário.

Imagine, por exemplo, que um dispositivo realiza normalmente suas compras on-line de Santa Catarina. Um dia, surge uma negociação tendo origem no Estado do Pará, saindo dos padrões de compra habituais. 

Pode não ser nada, afinal, as pessoas viajam. Mas também pode ser um indício de fraude que deve ser analisado com os demais recursos tecnológicos. 

Big Data

O histórico dos compradores estará acessível por meio do Big Data, uma solução que concentra um grande volume de dados em um mesmo lugar, para agilizar o processo de análise.

É possível identificar um padrão de consumo do cliente a partir do seu histórico de compras, que, por sua vez, ficará armazenado nessa grande base de dados. 

Machine Learning

Outro recurso poderoso de um antifraude no e-commerce é o Machine Learning. Atuando com o Big Data, a ferramenta tem a capacidade de identificar os padrões das fraudes, utilizando algoritmos. Trabalhando juntos, ambos conseguem detectar em tempo real ações suspeitas durante uma negociação. 

Confirmação de dados

É preciso confirmar que os dados indicados no cadastro do comprador são os mesmos fornecidos às administradoras de cartões de crédito. Muitas vezes um pequeno detalhe passaria despercebido em uma análise manual.

No entanto, por meio de um sistema de antifraude no e-commerce, as inconsistências são detectadas automaticamente. Diante delas, é feita uma investigação mais apurada.

Código de segurança 

Um recurso utilizado para evitar fraudes virtuais é o código de segurança. Aqueles três algarismos que estão no verso dos cartões e são exigidos no momento final das compras.

Em casos de cartões clonados, os fraudadores possuem apenas o número principal do cartão, que está disponível na parte da frente. Sem o código de segurança, a compra é bloqueada.

Principais tipos de golpes que um sistema antifraude no e-commerce previne 

Para você entender claramente como um sistema antifraude no e-commerce vai atuar, também é fundamental conhecer os principais riscos aos quais as lojas virtuais desprotegidas são expostas. Confira!

Fraude deliberada

Esse é um caso bastante comum e ocorre quando dados pessoais de uma pessoa ficam expostos ou seu cartão de crédito é roubado ou clonado. O golpista usa os dados verdadeiros para se passar pelo cliente e realizar compras em seu nome na plataforma de vendas. 

Quando a fatura do cartão chega para o dono legítimo e há uma cobrança por algo que ele não comprou, provavelmente essa negociação será contestada e será solicitado o reembolso do valor ao banco emissor. Isto é conhecido como chargeback

A empresa poderá, além de perder o produto, ter prejuízo com o estorno do valor e ainda ter sua imagem prejudicada perante o público. 

Fraude amigável

Uma situação que ocorre com frequência são os casos em que crianças, conectadas com a internet cada vez mais cedo, utilizam o cartão de crédito dos pais para fazer pedidos on-line, sem autorização. 

Essa é uma fraude amigável, que ocorre quando alguém próximo ao verdadeiro dono realiza uma compra sem o seu consentimento. 

Autofraude

Outro tipo de fraude, que pode ser evitada por meio da tecnologia de um antifraude no e-commerce, é quando o próprio dono do cartão se torna o golpista. Nesse caso, o comprador realiza o pedido na loja, mas, após receber a compra, afirma que não fez a compra ou que jamais recebeu sua encomenda. Então solicita o chargeback

Da mesma forma que a solução utiliza diversas camadas de proteção para identificar um fraudador, o cruzamento de dados também garante quando um comprador é legítimo.

Um antifraude no e-commerce garante muitos benefícios

Dispor de uma ferramenta antifraude garantirá proteção tanto para o empreendedor e sua loja, quanto para seus próprios clientes. Veja de que maneira uma maior proteção pode beneficiar seu negócio. 

  • Redução de prejuízos e chargeback 

Um dos impactos mais positivos para o seu negócio é, sem dúvida, a redução das perdas financeiras com produtos que jamais serão pagos pelos fraudadores e a diminuição do chargeback.  

  • Clientes protegidos e mais satisfeitos

Seu e-commerce terá maior proteção e também seus clientes. Vale ressaltar que, de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais N°13709, a responsabilidade de proteger os dados dos consumidores é da plataforma que vai receber e armazenar as informações. 

  • Maior praticidade e economia para o seu negócio

Em vez de perder recursos importantes realizando análises manuais, um sistema automatizado pode efetuar todos os processos automaticamente e em tempo real. Sempre de acordo com as diretrizes do seu empreendimento, que podem ser configuradas previamente no sistema antifraude.

Além da economia para a empresa, com os processos de análises mais ágeis, seus clientes terão uma melhor experiência durante a jornada de compra.

Se você quer saber mais sobre como proteger o seu negócio da ação de criminosos e implementar um sistema antifraude no e-commerce, continue acompanhando as informações do nosso blog.

Deixe uma resposta