Análise fundamentalista: uma explicação completa sobre o assunto

25 / 01 / 2022

Análise fundamentalista: uma explicação completa sobre o assunto

Quando o assunto é investimento no mercado financeiro, não faltam supostos especialistas apresentando soluções “infalíveis” para se obter um retorno estratosférico sobre o capital investido. 

Quando se busca orientações para crescer no mundo dos investimentos, é importante procurar por informações confiáveis, baseadas em evidências estatísticas, como é o caso da análise fundamentalista

Você faz uma análise fundamentalista nos seus investimentos? Não sabe do que se trata o tema? Não se preocupe, neste post você vai aprender tudo o que precisa saber, para ficar bem atualizado! 

 

O que é análise fundamentalista? 

A análise fundamentalista busca prever os cenários futuros de uma empresa com o objetivo de mensurar o seu nível de relevância para fins de investimento

Para calcular esses dados, o analista fundamentalista utiliza dados do histórico de crescimento da empresa e compara com possíveis cenários futuros, com isso, é possível obter uma previsão de curto, médio e longo prazo. 

É uma estratégia que apresenta 100% de acerto? Logicamente não, afinal, não existe nenhuma ferramenta capaz de apresentar um panorama que seja a prova de erros. 

Entretanto, a matemática estatística não mente. Então, se o investidor contar com estudos de mercado bem embasados em suas mãos, não há dúvidas de que isso o colocará em um patamar acima da média. 

Para que você entenda quais são os fundamentos dessa análise, observe atentamente os tópicos abaixo. São 3 os pontos a serem analisados pelos analistas.

1 - Análise macroeconômica: Se refere ao panorama em que no qual a empresa está inserida, mas especificamente, a economia local. 

Aqui é necessário que se observe o PIB (Produto Interno Bruto) do país, índices de inflação, taxa de câmbio, taxa de juros e nível de renda médio.

2 - Análise setorial: Por mais que os indicadores macroeconômicos sejam muito importantes, eles ainda não refletem necessariamente a realidade da empresa. Por isso, é importante que se observe o setor em que a empresa está inserida. 

3 - Análise de empresa: Aqui é realizada uma análise do histórico de dados já compilados pela empresa.

 

Para que serve e quem utiliza? 

A ideia por trás da análise fundamentalista é encontrar o valor real de uma empresa e o quanto de fato as suas ações podem valer. É um estudo que se baseia no histórico de dados existentes e possui uma visão de longo prazo.

Mesmo que uma empresa esteja com seus papéis desvalorizados e que em uma análise fundamentalista concluir que o seu valor de mercado é superior ao atual, isso não faz dela uma empresa desvalorizada.

Ela pode não ter o valor hoje, mas é uma empresa com um bom potencial, para se acompanhar no longo prazo. O fator “tempo”, é a base do contexto por trás da análise fundamentalista. 

 

Vantagens 

A análise fundamentalista é a ferramenta mais abrangente para a análise dos investidores, e, para a alegria destes, esses dados estão sendo cada vez mais acessíveis. Isso se dá pelo fato de as corretoras liberarem seus estudos

Não é um compilado simples de ser feito, demanda tempo e conhecimento de mercado. Mesmo que realizado por uma corretora, é necessário que o investidor analise com muito cuidado.

De forma alguma ela será recomendável para investimentos de curto prazo, como é o caso do day trade. A análise foca no futuro da empresa e pode ser considerada uma recomendação, portanto que o investidor siga acompanhando os avanços da economia. 

 

Principais críticas 

Naturalmente, as críticas mais comuns são baseadas em argumentos de quem busca um retorno mais rápido nos investimentos. Grande parte das vezes possui reflexo direto na macroeconomia. 

Se questões relacionadas ao PIB, inflação e desvalorização cambial estão puxando o valor dos investimentos para baixo, é praticamente impossível aportar um montante esperando retorno rápido na valorização. 

Como a análise busca o longo prazo, esses elementos de perspectiva de crescimento do país também são levados em consideração. É por isso que todos os 3 fundamentos listados anteriormente precisam de uma atenção especial

 

Análise de fundamentos 

Nesse ponto, os analistas que já possuem os dados compilados em mãos, buscam classificar a empresa pelo seu “valor intrínseco”, ou seja, o quanto ela realmente vale.

Os fatores utilizados para concluir esse valor são: 

  • O potencial de crescimento da empresa no longo prazo;
  • O nível de risco da empresa, no que diz respeito ao negócio em si (mercado em que está incluída), à alavancagem financeira e à sua capacidade de captação;
  • A flexibilidade financeira da empresa, no que diz respeito a seus recursos próprios, seus ativos e sua credibilidade com terceiros (novos recursos, aportes externos).

Análise quantitativa e qualitativa 

Esses dois elementos buscam entender a percepção da empresa no mercado como um todo, e, como o próprio nome diz, um fator está relacionado à "quantidade", ou seja, seus números, o outro, à “qualidade”, que reflete o impacto da marca no mercado. 

A análise quantitativa é aquela em que o analista busca olhar de maneira objetiva, somente os números de seu histórico e nada mais. 

Na análise qualitativa, o analista irá buscar compreender outros fatores que impactam no crescimento da empresa, como é o fato da gestão da companhia, o peso da marca e a sua reputação no mercado. 

 

Sempre atualizado

Não é nenhum segredo, quem quer prosperar no mercado financeiro deve acompanhar diariamente os avanços do mercado. É preciso se familiarizar com novos termos, estudos e o desempenho da economia global. 

Indispensável também é que se acompanhe as principais notícias do mercado, que poderão influenciar diretamente na previsibilidade dos investimentos que mais lhe chamam a atenção.

Esteja sempre atualizado com o que há de mais relevante no mercado. Conheça mais sobre o Mercado Financeiro, acompanhe o blog da Cedro Technologies e esteja sempre atualizado!

Deixe uma resposta