Análise de fraude e KYC: quais as diferenças entre eles?

Você sabe quais as diferenças entre a análise de fraude e o processo de KYC? Com a transformação digital, o tratamento de dados ganhou bastante relevância entre as empresas do setor financeiro. Ao mesmo tempo, cresceu também a necessidade de garantir a proteção dos usuários e dos negócios.

Tanto a análise de fraude como o KYC inserem-se nesse cenário. Mas é importante saber distinguir cada um deles e saber quais as melhores formas de se proteger. 

No post de hoje, vamos explorar as diferenças entre essas estratégias e a importância de adotá-las na sua empresa. No final, demonstraremos por que você deve contar com a tecnologia para aumentar a segurança desses processos. 

Confira agora! 

O que é análise de fraude?

A análise de fraude corresponde à análise das informações cadastradas pelos clientes para verificar se elas são verídicas. Por exemplo, se o CPF/CNPJ pertence mesmo àquela pessoa e/ou empresa ou se uma ID falsa ou de outra pessoa não está sendo usada.

Para realizar a investigação, as empresas devem estabelecer alguns critérios de verificação para evitar erros e enganos. Afinal, a análise de fraude precisa ser bastante rigorosa para não comprometer a instituição financeira. 

O processo pode ser feito de forma automatizada, comparando os dados de diferentes fontes confiáveis para avaliar a veracidade das informações fornecidas pelos clientes no momento do cadastro. 

Porque a análise de fraude é importante?

A análise de fraude é fundamental para garantir a segurança das empresas do setor financeiro. Com a transformação digital, os crimes virtuais têm sido cada vez mais frequentes. Por isso, as empresas devem se proteger realizando a análise de fraude, prevenindo perdas. 

As fraudes podem comprometer seriamente empresas do setor financeiro, que lidam com transações bancárias e dados sensíveis. Além de perdas em dinheiro, as fraudes podem acarretar diminuição da credibilidade da instituição na visão do mercado. Assim, a análise de fraude é um processo importante para evitar esse tipo de situação. 

O que é KYC?

KYC é a sigla para Know Your Customer. Enquanto a análise de fraude diz respeito a identificar a validade dos dados dos usuários, o processo de KYC serve para avaliar informações do cliente e fazer uma classificação de risco. Um exemplo disso é descobrir se o usuário é PEP (Pessoa Exposta Politicamente). 

 

Trata-se de uma medida obrigatória que as instituições financeiras precisam adotar para identificar seus clientes. O KYC faz parte das estratégias das empresas para diminuir riscos e aumentar a segurança nas organizações. 

Por que o KYC é importante?

O KYC é importante dentro das instituições financeiras para garantir a eficiência da gestão de riscos. Isso porque ele permite conhecer os clientes em detalhes, com base no histórico que eles têm para verificar a idoneidade. 

Assim, o processo de KYC é fundamental para empresas que precisam construir uma estratégia eficiente de identificação de clientes. Isso deve ser feito logo no início do cadastro de usuários, para evitar problemas no futuro. 

Conhecer os clientes é particularmente importante para as empresas do setor financeiro, que precisam criar um relacionamento de confiança com seus consumidores. 

Nesse sentido, a política estabelecida pelo KYC permite criar laços mais fortes com os clientes, beneficiando ambos os lados. Afinal, muitas das condições especiais oferecidas por empresas desse setor são baseadas na análise do histórico dos consumidores. 

Qual o papel da tecnologia para a análise de fraude e KYC?

Sem o uso da tecnologia, o processo de análise de cadastro torna-se muito moroso e passível de erro. Com o aprimoramento dos recursos devido à transformação digital, hoje as empresas do setor financeiro podem contar com sistemas especializados para garantir sua segurança. 

Esse tipo de ferramenta auxilia no tratamento de dados de forma automatizada, simplificando o processo de KYC e a análise de fraude. Além disso, a tecnologia presente em plataformas especializadas é capaz de compilar um volume grande de informações sobre os usuários rapidamente e gerar relatórios completos. 

Sistemas robustos permitem também checar a veracidade das informações sobre CPF e CNPJ, garantindo a proteção das empresas do setor financeiro. Assim, os colaboradores não precisam gastar tempo buscando diferentes fontes de dados, diminuindo os custos do processo e evitando erros manuais.  

Tanto para o KYC como para a análise de fraude, a tecnologia desse sistema vem para auxiliar os processos. Então, que tal conhecer o Data Engine da Cedro Technologies para validação cadastral e consulta de informações? Descubra o sistema capaz de garantir a segurança que a sua empresa precisa com a facilidade que você deseja!