Análise de Riscos Socioambientais: como a tecnologia pode ajudar?

análise de risco socioambiental

Você faz a análise de riscos socioambientais em seus negócios? Essa é uma pergunta que merece ser considerada com atenção. 

Por exemplo, em 2015, houve o rompimento da barragem em Brumadinho e Mariana (MG), infelizmente, isso custou a vida de muitas pessoas e causou grande impacto no meio ambiente. Além disso, para a empresa envolvida, a Vale, isso resultou em prejuízo financeiro e imagem manchada. 

Para evitar desastres ambientais, é essencial que a sua organização analise os riscos socioambientais de seus projetos. No entanto, também é preciso checar como parceiros e fornecedores lidam com essa questão. 

Pensando nisso, veja neste artigo o que são riscos socioambientais, por que é importante fazer a análise desses riscos e como fazer isso. Boa leitura!

 

O que são riscos socioambientais?

Os riscos socioambientais são possíveis danos que uma atividade econômica pode causar à sociedade e ao meio ambiente. 

Assim, durante a elaboração do projeto, é preciso considerar o nível de prejuízo que vai atingir o ambiente e estabelecer estratégias de prevenção e recuperação. Os principais tipos de danos são:

  • Contaminação da água com substâncias químicas ou perigosas;
  • Contaminação do solo com material químico ou perigoso;
  • Desmatamento e incêndios florestais;
  • Mortandade de animais devido à ação humana;
  • Entre outros. 

No Brasil, a Lei nº 6938/81, conhecida como Política Nacional do Meio Ambiente (PNMA), estabelece as diretrizes sobre o que pode ser caracterizado como dano ambiental e como deve funcionar a fiscalização. 

A PNMA define que meio ambiente é o “conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas”.

Desse modo, o meio ambiente trata-se de um bem público e de uso coletivo e deve ser preservado e protegido, proporcionando situações favoráveis à vida. 

Para garantir isso, existem órgãos responsáveis pela fiscalização dos riscos socioambientais. Confira!

 

Quais são os órgãos que fiscalizam os ricos socioambientais?

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) é o órgão responsável, principalmente, por fazer a fiscalização ambiental em todo o país.

ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) possui a responsabilidade de implantar, fiscalizar e monitorar as Unidades de Conservação do Brasil. 

Esses órgãos junto com outras entidades, como as municipais e estaduais, formam o SISNAMA (Sistema Nacional de Meio Ambiente), que visa assegurar o cumprimento dos princípios constitucionais sobre proteção ambiental.

Dessa forma, caso uma empresa não cumpra os critérios para preservação do meio ambiente, ela pode ser culpada de crime ambiental. No Brasil as punições são determinadas pela Lei nº 9605/98 e, entre as penalidades, existe a possibilidade de:

  • Suspensão parcial ou total das atividades;
  • Detenção e reclusão;
  • Multas;
  • Entre outros. 

No entanto, além do risco de punição judicial, existem outras razões pelas quais você deve se preocupar em fazer a análise de riscos ambientais. Veja no próximo tópico. 

 

Por que é importante fazer a análise de riscos socioambientais?

Em primeiro lugar, caso a sua empresa pretenda conseguir créditos em instituições financeiras. Antes da concessão, ocorrerá uma avaliação da situação de risco socioambiental do seu negócio.

Isso acontece porque, ao conceder crédito, os estabelecimentos bancários também podem vir a ser responsabilizados por consequências negativas que o projeto cause ao meio ambiente. 

Existem 2 órgãos principais que estabelecem as normas para as instituições financeiras:

  • BACEN (Banco Central do Brasil): segundo a Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA), resolução 4.237, a organização financeira atua como intermediária assumindo os riscos de terceiros. 
  • CVM (Comissão de Valores Mobiliários): estipula que haja transparência quanto à exposição dos riscos socioambientais. 

Em segundo lugar, é importante pensar em como um desastre ambiental pode afetar a imagem da sua empresa no mercado. 

Além do prejuízo financeiro proveniente de multas, também pode ocorrer redução no número de clientes, que não desejam ter associação com uma organização que não respeita o meio ambiente e a sociedade. 

No entanto, mesmo que a sua empresa atue de modo que, dentro do possível, mantenha a preservação ambiental, é essencial prestar atenção em quem são os seus fornecedores e parceiros. 

Nesse sentido, é preciso garantir que os valores empresariais estão em compliance com os de seu negócio. 

Afinal, com certeza, você não deseja que tanto o seu nome pessoal como o jurídico estejam envolvidos em escândalos ambientais. Assim, é preciso escolher com cautela os fornecedores e parceiros a fim de que isso não aconteça indiretamente. 

Portanto, a análise de riscos socioambientais de terceiros vai proteger a imagem da sua empresa. Porém, como fazer isso? Descubra no tópico seguinte. 

 

Como fazer a análise de riscos socioambientais?

É importante conhecer plenamente as propostas de projetos em parceria. Com a ajuda de profissionais qualificados, por exemplo, engenheiros ambientais e biólogos, é necessário verificar qual o impacto que a atividade vai causar no ambiente. 

Além disso, também é vital analisar quais vão ser as consequências sociais e econômicas para as pessoas que vivem na região. 

Outra medida a ser adotada,  tanto na escolha de parceiros como de fornecedores, é a checagem do histórico anterior do negócio.

Dessa forma, você evita que a reputação da sua empresa seja prejudicada em consequência das ações de outros.

No entanto, fazer essa pesquisa manualmente pode consumir muito tempo. E dependendo da quantidade de fornecedores, pode ser uma opção totalmente inviável.

Por isso, é útil buscar auxílio de soluções tecnológicas na hora de conferir os antecedentes de terceiros. 

 

A tecnologia e a checagem de terceiros

Ao usar uma ferramenta digital, como o Data Engine, o processo de Background Check (Checagem de Antecedentes) é automatizado e se torna muito mais ágil. 

Esse recurso proporciona que você tenha acesso a informações, como:

  • Irregularidades financeiras;
  • Irregularidades comerciais;
  • Antecedentes criminais;
  • Entre outros. 

O sistema realiza automaticamente a pesquisa em vários órgãos públicos, como:

  • IBAMA;
  • Receita Federal;
  • Polícia Federal;
  • Entre outros. 

Ademais, a ferramenta ajuda na construção do Dossiê de uma empresa ou pessoa específica, dessa forma, todos os documentos e arquivos necessários vão estar organizados e agrupados, o que vai facilitar uma futura consulta.

Em conclusão, a análise de riscos socioambientais é uma forma de garantir a preservação do meio ambiente e da vida. Além disso, é uma maneira de proteger a imagem e reputação do seu negócio, evitando prejuízos legais e financeiros. 

Pensando nisso, a sua empresa está preparada para avaliar os parceiros e fornecedores? Que tal conhecer o Data Engine

Deixe uma resposta