home Sem categoria 7 erros de automação de TI para nunca cometer

7 erros de automação de TI para nunca cometer

A automatização de processos é a melhor maneira de aproveitar ao máximo as tecnologias disruptivas e um ponto chave para para tornar a TI mais estratégica. No entanto, é preciso preparação e cautela para implementar esse processo no cotidiano da empresa.

É inegável os diversos benefícios que a automação de processos pode trazer para uma organização. A consultoria Iteris, sobre a temática, constatou que, para 87% dos entrevistados, em um recorte de 180 empresas, a implementação desse processo de automação garante ganhos de produtividade. Colaboradores, desta forma, passam a ter mais tempo para focar em atividades que geram maior valor agregado ao negócio. E ainda há muito o que evoluir.

Em contrapartida, 71% dos participantes demonstram dificuldades em conduzir um processo que promova a automação. Por isso, separamos nesta lista quais são os temas que seu negócio deve se atentar para não cometer erros. Confira:

1. Não definir uma estratégia de automação

Como em qualquer outra iniciativa na área de TI, é preciso construir um plano para adotar a automação – mesmo que a noção geral é que a automação realmente seja benéfica aos negócios.

É preciso traçar uma estratégia clara e definida para ter controle do processo e previsibilidade. Sem esse trabalho prévio, seu negócio não tem certeza de como esse processo terminará. Comece identificando quais são as oportunidades de automação inicialmente em processos menores.

2. Não alinhar a automação a um forte plano de negócios

A automação deve seguir as diretrizes do plano de negócios da sua empresa e estar prevista dentro das necessidades de investimento e de tempo de implementação.

Isso é importante para que o crescimento seja consciente e de fato entregue benefícios para o negócio, considerando o Retorno sobre Investimento (ROI).

3. Apressar a implementação de processos de automação

Dentro de qualquer negócio, existem muitos processos que têm potencial para a automação. No entanto, nem sempre faz sentido utilizar ferramentas automatizadas simultaneamente em todas as áreas.

É preciso que o processo seja gradual e que faça sentido dentro da lógica da organização, não alterando sua identidade de maneira radical.

4. Não contar com profissionais capacitados para automação

A automação é um processo extremamente importante e deve ser feito com conhecimento, experiência e muito bem embasado nos planos do negócio.

Portanto, é preciso contar com profissionais capacitados que entendam todas as suas ramificações, para identificar e evitar quaisquer problemas estruturais na automação. Assim, evitar a necessidade de constante reparo manual de códigos.

Como em qualquer outro projeto de TI, é preciso analisar as métricas e os resultados para entender o  valor que a implementação da automação está gerando para o negócio.

5. Não pensar na escalabilidade

Desde o início do processo de automação é preciso considerar a escalabilidade. Pode ser que um negócio comece aplicando em um determinado setor, mas não tenha considerado a necessidade de expandir além do ponto definido. Daí, o esforço para conseguir aplicar em outras áreas será muito maior.

Por isso, é importante não se limitar a serviços de TI ou atendimento ao cliente, por exemplo, que são as áreas que mais recebem atenção para a automação. Isso pode gerar atrito pelas diferenças processuais e impactar negativamente no negócio.

6. Implementar DevOps precipitadamente

DevOps também é uma metodologia que tem ganhado força nos últimos anos. No entanto, é preciso planejamento na sua adoção que tem a automação como um dos seus pilares.

Não dá para fazer da noite para o dia: é preciso preparar o negócio e a equipe para a adoção de DevOps. Por isso, é fundamental ter maior controle das ferramentas que são utilizadas e fazer a padronização para que esse modelo faça a diferença para a automação dos processos na sua empresa.

7. Focar apenas na tecnologia

Antes de iniciar a automação, é preciso considerar o impacto sobre os afetados pela mudança. Para projetar e implementar uma abordagem abrangente, pessoas e processos devem ser levados em conta.

É preciso que as equipes participem do processo de decisão para priorizar a automação das principais necessidades enfrentadas no dia a dia. A maturidade da automação deve envolver ferramentas, cultura, automação e talento.

Conclusão

Em suma, a automação de processos em TI exige conhecimento e dedicação para que o negócio possa se beneficiar desse processo, sem cair nos erros e escalar problemas. Esperamos que esses pontos que elencamos neste artigo passe bem longe da realidade do seu negócio. Continue acompanhando o blog da Cedro!

Gostou? Compartilhe:

Eduardo Finzi

Eduardo Finzi

Eduardo Finzi é Diretor de TI da Cedro, com experiência como cientista da computação em empresas do segmento atacadista, telecom e financeiro.