7 custos indispensáveis na hora de criar um aplicativo

O mercado de aplicativos vem crescendo de forma rápida no Brasil, andando na contramão da crise financeira que afeta o país. De acordo com uma pesquisa recente, os brasileiros usam 29,23 aplicativos em média, enquanto o restante do mundo utiliza 27 apps. É, portanto, um mercado promissor no qual investir. Mas você tem ideia de quanto custa criar um aplicativo?

O usuário quando vê os ícones nos dispositivos móveis não fazem ideia da quantidade de trabalho e do custo envolvido no desenvolvimento de cada app.

O investimento para a construção varia muito, dependendo da funcionalidade, dos recursos e da plataforma usada. O valor pode girar entre dezenas a centenas de milhares reais, fora os custos de manutenção.

Você deve estar se perguntando de que forma este recurso é empregado. Neste artigo, vamos listar os principais custos necessários para se criar um aplicativo.

1. Design

Um aplicativo é formado por uma série de códigos e linguagens específicas, que colocam nas mãos do usuário as funcionalidades que ele precisa, certo? Errado. Sem um trabalho de design, o aplicativo não teria função alguma para os usuários, já que eles não seriam capazes de decodificar a linguagem presente no app.

O design é um dos trabalhos mais importantes do desenvolvimento de aplicativos, pois é ele quem possibilita que os usuários possam, efetivamente, se beneficiar dos recursos oferecidos. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, o designer não é somente aquele profissional responsável por deixar as coisas esteticamente agradáveis.

É o designer quem estuda as formas de utilização dos aplicativos, posiciona os botões nos locais de maior visibilidade, cuida para que o ícone do app fique visível na tela do celular ou tablet, estuda as cores que mais se adequam ao serviço oferecido, dentre outras funções.

Um aplicativo sem design serve apenas para quem o desenvolveu. Portanto, se você estiver querendo entrar neste mercado, nem pense em fazê-lo sem trabalhar em parceria com um designer.

2. Linguagens de Programação

Ao criar um aplicativo é preciso pensar em todas as plataformas que existem para que ele possa rodar. Afinal de contas, se você vai desenvolver algo, quer democratizá-lo ao máximo, pelo menos dentro daquele universo de pessoas para as quais o app será útil, não é mesmo?

O profissional responsável por linguagens de programação será o responsável por adaptar o aplicativo para rodar nos diferentes sistemas, como iOS (Apple) e Android, por exemplo.

Sem esse custo, você corre o risco de desenvolver um app limitado e que não vai atender às necessidades de muitos usuários.

3. Armazenamento

A maioria dos aplicativos trabalha com o armazenamento de dados, nem que seja apenas para as informações geradas para a manutenção do próprio app.

Antes mesmo de iniciar o desenvolvimento você precisará pensar na forma de armazenamento dessas informações. Adotará servidores em nuvem? Vai adquirir máquinas físicas de coleta de dados? Qual é o volume de informações que precisará ser armazenado? Por quanto tempo?

Essas perguntas deverão ser respondidas com cuidado, para que seja feito o orçamento dessa parte do desenvolvimento do aplicativo de maneira assertiva. E mesmo após a entrega do produto já pronto, será necessário verificar as necessidades de upgrades de memória. É um custo bastante relevante para quem quer entrar no mercado de desenvolvimento de aplicações.

4. Análise de Sistemas

Atualmente, aplicativos podem ser desenvolvidos para diferentes situações. Podem ser para uso geral, do grande público, podem ser de exclusividade de empresas ou de apenas um pequeno grupo de colaboradores.

A leitura da demanda do cliente para sua posterior transformação em projeto é feita pelo analista de sistemas. É ele quem vai colocar no papel todos os anseios de quem demanda a criação de um app, tentando traduzir essas ideias para o ambiente tecnológico.

Basicamente, o analista de sistemas é o profissional que vai decidir sobre a viabilidade ou não do investimento, pois é a leitura dele quem vai determinar as atividades que precisarão ser empregadas no projeto e, consequentemente, o orçamento.

5. Desenvolvimento e programação

Esta função talvez seja a mais vital do trabalho de desenvolvimento de aplicativos. O programador é o profissional responsável por interpretar as necessidades do cliente, descritas pelo analista de sistemas, e codificá-las para a sua efetiva transformação em aplicativos.

O profissional responsável pelo desenvolvimento e programação é aquele que põe “a mão na massa” durante a construção do aplicativo. A sua parte do trabalho é representada pela camada de funcionalidades que faz a conexão entre o banco de dados e o design que o usuário vê em sua tela.

Quando você está utilizando o aplicativo e clica em uma função específica, o acionamento ocorre justamente na camada de desenvolvimento e programação. Este é, provavelmente, o maior custo do projeto de desenvolvimento de um aplicativo.

6. Testes

Assim como um carro, um eletrodoméstico ou um computador, um aplicativo também precisa ser testado antes de passar a estar disponível para download. Principalmente em um mercado tão concorrido, se o app não funcionar corretamente, provavelmente você terá perdido o público que baixou a primeira versão.

Por isso, é necessário que sejam feitos vários testes, em diferentes situações e pelo tempo necessário, de modo a corrigir todas as falhas decorrentes do desenvolvimento.

7. Divulgação

Você terminou de construir seu aplicativo e ele ficou excelente, as funcionalidades estão em dia, tudo está ótimo. Mas se ninguém ficar sabendo da existência dele, como você vai arcar com os custos do projeto?

A divulgação quase sempre é deixada de lado, mas é parte fundamental para o sucesso do negócio. A equipe responsável por essa área fará um estudo do perfil do consumidor e providenciará a divulgação em diversos canais, visando atingir o maior número de pessoas que podem ser impactadas pelas funcionalidades do aplicativo.

Agora que você já conhece os custos para se criar um aplicativo, já pode começar a trabalhar no desenvolvimento do seu. Para saber mais informações sobre esse mercado, curta a nossa página no Facebook! Se quiser ir direto ao ponto, preencha o formulário abaixo para que um especialista da Cedro entre em contato com você.