home Sem categoria 3 elementos principais para que seus funcionários acompanhem a transformação digital

3 elementos principais para que seus funcionários acompanhem a transformação digital

A parte de pessoas na transformação digital é tão importante quanto as tecnologias, processos e infraestrutura envolvidos. Grande parte disso é a cultura da empresa e o que ela oferece em termos de aprendizado e desenvolvimento, não apenas para impulsionar a maturidade digital da organização, mas também para demonstrar o investimento no futuro de seus funcionários.

À medida que a cobrança para aumentar as oportunidades de aprendizado e desenvolvimento se intensifica, os responsáveis ​​pela evolução das habilidades precisam desenvolver novas formas de capacitar os funcionários e oferecer oportunidades de crescimento dentro da empresa.

Uma pesquisa confirmou que 72% dos profissionais de RH acredita que o desenvolvimento dos funcionários é importante para as organizações e destinam uma média de 46% do orçamento para treinamentos e desenvolvimento.

Então, como engajar os colaboradores na transformação digital? Para responder a essa questão, é preciso explorar três elementos do processo: mentalidade, conjunto de habilidades e conjunto de ferramentas.

Mentalidade

Quando o assunto é transformação digital, o estágio de mentalidade no processo é de grande importância, pois diz respeito à liderança, estratégia e cultura da empresa, com o objetivo de criar uma cultura digital inserida no DNA da companhia.

Por diversas vezes, a falta de adesão ao processo de transformação digital por parte dos cargos mais altos foi citada como o principal motivo para a lentidão no processo, no entanto, agora percebe-se que as equipes da linha de frente estão com maiores dificuldades na aceitação e gerando maiores obstáculos.

A pesquisa realizada pela McKinsey descobriu que 84% dos CEOs estão envolvidos e comprometidos com a mudança transformacional, enquanto apenas 45% dos funcionários da linha de frente estão encontrando maiores dificuldades e achando o processo desafiador. A mudança tende a proporcionar esse tipo de sentimento, mas isso pode ser resolvido com duas principais ações, comunicação e capacitação.

Comunicação

Comunicação é a chave para que os colaboradores entendam que o processo de transformação é algo benéfico para o ambiente e rotina de trabalho. Por isso, é de extrema importância que os grandes executivos se comuniquem com funcionários em todos os níveis da organização. Com isso, as chances de obter sucesso na transformação digital são imensas.Veja agora o que pode funcionar quando o assunto é comunicação:

  • Comunique-se de forma clara sobre objetivos de transformação;
  • Torne visível o engajamento do CEO com a transformação;
  • Mantenha um canal regular de informações;
  • Comprometimento visível por parte da liderança;
  • O colaborador precisa visualizar mudanças no dia-a-dia e na rotina de trabalho;
  • Utilize as tecnologias digitais como reforço na comunicação, use esses canais para envolver e engajar a equipe, mídias sociais, Chatbots, aplicativos de gerenciamento e ferramentas de feedback.

Capacitação

Enquanto os cargos de liderança da organização podem conhecer seu papel no processo de transformação, os demais colaboradores podem ter dificuldade de se encaixar no processo, a capacitação dos funcionários pode ajudá-los a se ambientar e influenciar a transformação, não apenas os envolvendo no processo, mas também permitindo que vejam como isso afeta o sucesso do negócio.

A participação do RH é crucial na liderança desse processo, pois, ele ocupa a melhor posição para entender as capacidades e limitações dos colaboradores dentro da organização, entendendo onde estão as lacunas de habilidades. Assim, é possível engajar os colaboradores por meio do desenvolvimento de talentos, enquanto o recrutamento pode ser utilizado quando os funcionários internos não têm as habilidades necessárias para posições em aberto.

Conjunto de habilidades

O fato é que não há pessoas suficientes no mercado de trabalho com as habilidades digitais certas. Apesar dos nativos digitais e da geração do milênio entrarem no mercado de trabalho, ainda há uma lacuna substancial a ser preenchida nas qualificações das organizações. A capacitação dos colaboradores auxilia o preenchimento dessa lacuna, reforçando o conjunto de habilidades necessárias para um bom desenvolvimento da transformação digital.

À medida que as tecnologias digitais evoluem, as habilidades necessárias para aproveitar essas evoluções precisam ser impulsionadas continuamente, para filtrar as plataformas ou iniciativas que podem não funcionar com os colaboradores. A escassez apresenta um problema enorme, já que os profissionais que possuem tais habilidades têm a liberdade de escolher onde irão trabalhar. Por conta da alta demanda em todos os setores e segmentos muitos dos profissionais altamente qualificados estão no controle e irão para as empresas que oferecem o melhor salário, assim como benefícios e oportunidades de aprendizado e desenvolvimento. A melhor maneira para lidar com essa questão é desenvolver talentos internamente, para não ficar totalmente dependente da contratação.

Embora algumas corporações tenham iniciativas de aprendizado e desenvolvimento em andamento, a escala e a padronização costumam ser um problema especialmente para as empresas com grandes forças de trabalho. Além disso, as habilidades digitais não estão mais confinadas a departamentos específicos, como o marketing. Tais habilidades precisam estar inseridas e instiladas em toda a empresa.

A chave para alcançar isso é fornecer uma certificação ou credenciamento para os funcionários. Em outras palavras, suas habilidades precisam atingir um certo nível para obter credenciamento por meio de um programa de certificação. Isso garante que toda a força de trabalho seja certificada, padronizando os recursos e aplicando essas habilidades para impulsionar a transformação digital da companhia.

Ter funcionários profissionalmente certificados tem um impacto positivo na lucratividade da organização, certificando e oferecendo benefícios aos colaboradores em suas funções cotidianas e futuras, servirá como ponto positivo para futuras contratações de profissionais na hora de escolher entre sua companhia ou as concorrentes.

Conjunto de ferramentas

As pessoas aprendem de maneiras diferentes. Alguns ainda têm valor em ambientes de sala de aula ou oficinas, enquanto outros aprendem melhor em seu próprio ritmo, em seu próprio ambiente através da aprendizagem on-line. Para alguns, uma combinação dos dois funciona bem, como um ambiente de sala de aula ou workshop incorpora a aprendizagem on-line em um modelo combinado.

Segundo o estudo “O Panorama do Treinamento no Brasil” as empresas investem em média R$ 788,00 por colaborador em treinamentos, comprometendo cerca de 21 horas do tempo dele. Apenas 16% dos treinamentos são realizados no ambiente online e este não é o melhor dos cenários, pois, à medida que as vidas dos colaboradores se tornam mais agitadas e o tempo precioso, preferem aprender no seu próprio ritmo e ter acesso ao conteúdo quando e como precisarem.

Aprender on-line normalmente requer menos tempo de trabalho do que aprender o mesmo tema em um ambiente de sala de aula tradicional, facilitando a compreensão do motivo pelo qual muitas organizações e profissionais preferem esse método.

Para muitas organizações, o benefício adicional de usar ferramentas digitais é poder acompanhar o que e como os funcionários estão aprendendo, a popularidade dos recursos pode ser avaliada para ver o que é mais eficaz enquanto o progresso do colaborador é avaliado, caso haja atraso ou dificuldade, com apenas um e-mail é possível motivá-los e engajá-los novamente.

Os funcionários são essenciais para o processo de transformação digital e são essenciais para o sucesso da companhia, ao criar e cultivar uma cultura que incentive a mentalidade digital, a força de trabalho estará em melhores condições para impulsionar a maturidade digital da organização e elevá-la ao patamar de empresa digital.

Gostou? Compartilhe:

Gabriel Januário

Publicitário, Analista de Marketing de serviços cognitivos na Cedro Technologies.