13 dicas para profissionais de finanças se diferenciarem

2 / 08 / 2016

A sociedade brasileira desenvolveu uma cultura que vem de muitas décadas: centralizar os investimentos preferencialmente em imóveis e poupança, esperando viver de rendimentos de aluguéis e dos rendimentos da “caderneta de poupança” quando a aposentadoria chegar.

Desta maneira, os investimentos ao longo de muito tempo têm sido concentrados em imóveis ou bancos. Quando se fala em investimentos financeiros, os bancos chegam a representar 98% de todas as aplicações no Brasil. Todavia, com a disseminação da informação, as pessoas passaram a se educar financeiramente, conhecendo novos produtos além daqueles tradicionalmente oferecidos pelos bancos – que, em sua maioria, oferecem baixa rentabilidade.

Profissionais de finanças

Estes novos produtos de investimentos são ofertados por corretoras de valores e distribuidoras de títulos. Os clientes têm acesso a eles pela internet. No entanto, em grande parte são assessorados por profissionais especializados: Agentes Autônomos de Investimentos, Consultores Financeiros e Analistas de Investimentos.

Em um universo crescente por demanda de novos produtos de investimentos, estes profissionais ganham notoriedade. Mas como podem se diferenciar?

Em parceria com Jansen Costa, da Fatorial Investimentos & Seguros, listei alguns tópicos essenciais nos quais esses especialistas devem ficar de olho para se diferenciarem no mercado:

1 – Sua formação

O profissional deve ter uma ampla formação e conhecimento. Certificações como CPA 20, CEA e CFP, entre outras, fazem diferença.

2 – O poder da informação

Um excelente profissional é um devorador de informações. Ele lê diariamente várias fontes de notícias e deve ser capaz de traduzir essas informações de maneira simples para seu cliente.

3 – Conhecimento do mercado

Busque formação teórica, mas a vivência prática no dia a dia conta muito. Ter vivido momentos distintos (crescimento econômico e crise econômica) do mercado pode equilibrar as decisões e opiniões.

4 – Educação financeira e alinhamento

Não auxilie seu cliente somente nas aplicações. Uma maneira de se diferenciar é conhecendo bem projetos e sonhos dele. Entenda seus objetivos, faça simulações, auxilie nas tomadas de decisão. Preocupe-se com o resultado que o cliente obterá conforme suas necessidades e anseios. Esteja 100% alinhado com o cliente sem se preocupar somente com sua remuneração pessoal.

5 – Faça parcerias

O profissional deve trabalhar em boas parcerias com contadores, advogados, gerentes dos bancos e provedores de soluções para fornecer um melhor atendimento ao seu cliente.

6 – Seja um exemplo

Se você atua no segmento de investimentos, os clientes irão seguir o que você fala desde que você faça o que diga. Se você atua com investimentos e tem independência financeira, isto valerá muito como exemplo na hora de convencer um cliente a aplicar em algum produto com o qual você está assessorando-o.

7 – Cuide da aparência

Cuidar da aparência pode ser um detalhe que passe despercebido, mas pode fazer diferença na hora de transmitir confiança e credibilidade ao cliente. Lembre-se, portanto, de estar sempre bem vestido.

8 – Relacionamento

Ter bom relacionamento com clientes e amplo networking é muito importante. Quando se fala em investimentos e finanças, isto envolve abertura de projetos pessoais e de intimidades. Desta maneira, antes de conquistar a “conta” do seu cliente, você precisa conquistar sua confiança.

9 – Contatos com o mercado

Um profissional do mercado deve ter um excelente relacionamento e contatos com agentes do meio, como gestores, corretoras, bancos, entre outros.

10 – Credibilidade

Invista na credibilidade. Se você quer estar próximo de seus clientes e assessorá-los da melhor maneira possível, é importante ter credibilidade pessoal. Ou seja, tenha mais cuidado com suas atitudes no ambiente profissional e no dia a dia.

11 – Conteúdo

As pessoas, principalmente das últimas gerações, estão habituadas a buscar informação preferencialmente na internet. Uma estratégia relevante é passar a escrever sobre assuntos de finanças e investimentos. Desta maneira, você gera credibilidade e pode ser encontrado por outras pessoas que buscam informações sobre como investir melhor, educação financeira e assuntos relacionados. O conteúdo pode ser disponibilizado em diferentes fontes, como LinkedIn Pulse, MyPush, Facebook, Twitter e blog pessoal.

12 – Blog Pessoal

Ter um blog pessoal é uma ferramenta relevante e poderosa. Por meio de um blog você pode centralizar suas dicas, comentários, conteúdos e ferramentas para educação financeira e simulações. Seus clientes e outros usuários na internet podem buscar informação e, assim, conhecer mais sobre o seu trabalho.

13 – Inovação e Startup

Outra maneira de se diferenciar no mercado é inovar e investir em soluções tecnológicas. Crie ferramentas próprias, planilhas, produtos e serviços diferenciados. Pense em como seus clientes poderiam utilizar sua inteligência e conhecimento mesmo que não estivessem com você. Neste sentido, muitos profissionais de investimentos têm investido no desenvolvimento de soluções tecnológicas próprias, criando novos produtos, Startups e Fintechs no mercado de investimento.

 

Já pensou em inovar? Converse com a Cedro e entenda como podemos transformar a sua ideia em uma Fintech de sucesso.