home Sem categoria 10 razões pelas quais você deveria estudar computação, mesmo que não trabalhe na área

10 razões pelas quais você deveria estudar computação, mesmo que não trabalhe na área

Qual é a profissão do futuro? Querer definir uma carreira ou uma profissão como resposta a esta pergunta seria uma enorme pretensão. Isto porque há diversas demandas crescentes de trabalho no mundo e também pelo fato de que as pessoas possuem personalidades, pensamentos e sonhos diferentes.

Como escolher uma profissão, seja acadêmica ou de mercado, que nos possibilite nos sentirmos úteis? Como optar por algo que permita contribuir com o desenvolvimento de uma sociedade, de pessoas e de um ecossistema? O que eu posso estudar que irá melhorar o meu raciocínio lógico?

No ano de 2015 fez 10 anos que me formei em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Uberlândia, UFU, e extensão pelo Institut National des Sciences Appliquées, INSA-Lyon. Durante o período da faculdade eu respondia a mim mesmo sobre os motivos e razões que me levavam a passar horas e noites estudando matemática, computação e lógica. Depois passei a responder a questionamentos e a pedidos de conselhos de amigos e de outros estudantes que estavam interessados em avançar em seus estudos de computação. Certa vez o professor Marcelo (eu o apresento logo abaixo) nos falara sobre a importância de ver o sol nascer após uma noite intensa de estudos.

Como qualquer outro profissional apaixonado por sua área de atuação, logo eu poderia listar diversas razões. Todavia, quero listar razões pelas quais estudar computação é simplesmente diferente de outras áreas. Não digo que é melhor, mas a computação como ciência é singular.

Recentemente conversei com dois professores, Prof. Dr. Marcelo Rodrigues de Sousa (UFU) e a Prof. Msc. Raquel Fialho (Doutoranda UFU, prof. FSMA e prof. FEMASS), sobre os motivos que levam alunos a estudar computação. O mais interessante é que todos nós temos a mesma opinião: estudar computação não tem hora, nem lugar e tampouco precisa ser na graduação. Trabalhar com computação é trabalhar com o novo e ver na prática o resultado de seu trabalho. Já em uma conversa com o Prof. Dr. Pedro Frosi, também da UFU, concordamos sobre a facilidade que a computação dá para quem quer empreender e sobre uma recente pesquisa publicada nos EUA em que pessoas com bom raciocínio lógico e boa base de matemática são as mais bem-sucedidas em todas as áreas profissionais.

Compilei os insights recebido pelos professores e também no que eu acredito. Seguem as razões:

  1. Em qualquer momento da vida. A opção de estudar computação pode ser feita no vestibular, todavia milhares de pessoas em todo o mundo iniciam os seus estudos de computação e lógica ainda na fase infantil. Mas se você já não é mais criança ou não está no momento de prestar vestibular, saiba que estudar computação não tem hora. Você não precisa cursar uma graduação para estudar computação, você pode aprender em sua casa e em seu computador, mesmo que você já tenha uma outra profissão.
  2. Cidadão do mundo. Esta é uma expressão que aprendi com o prof. Marcelo Rodrigues ainda durante a graduação. Mas por que Cidadão do Mundo? Se você sabe computação, você pode trabalhar em qualquer lugar do mundo. Isto não acontece com as demais profissões como ser médico, dentista, advogado ou engenheiro civil, que embora você possa exercer lá fora, as validações são necessárias. Já na computação você pode simplesmente sair do Brasil e desembarcar em qualquer lugar do mundo e começar a trabalhar no dia seguinte, isto caso você queira sair do Brasil, pois senão você poderia trabalhar remotamente. Em várias outras profissões quando você decide sair de seu país, você acaba tendo que trabalhar em outras atividades diferentes daquelas que você se preparou.
  3. Computação em todos os domínios de negócio. Embora a computação seja uma ciência por si só, ela está presente em todos os domínios de negócio e atividades. Conversando com a prof. Raquel Fialho começamos a listar os lugares onde a computação está presente: nos transportes, na medicina, na engenharia, na logística, nas comunicações, na mídia, nas telecomunicações, na energia e em muitas outras áreas.
  4. Mal de Alzheimer. Programar é um excelente exercício para o cérebro. Se você programa e gosta de programar, você pode fazer isto até morrer. Exercitar o cérebro é uma excelente maneira de evitar a demência e a caduquice.
  5. Aprenda a aprender e estude para sempre. A computação é uma área que sempre terá algo novo a aprender e a estudar. Você poderá estudar para sempre, mesmo quando entrar na melhor idade ou na velhice. Mas e se eu não gosto de estudar? Então talvez você deva parar a leitura do post aqui. Durante a faculdade é comum ouvir certos questionamentos como “Por que estamos estudando isto?”, “Por que estudar matemática para ciência da computação?” ou “Por que estudar teoria da computação?”. O mais importante é que estudando computação você aprende fundamentos básicos de raciocínio lógico e matemática, e isto o ajuda a aprender sozinho. Você não terá um professor para sempre ao seu lado e a tecnologia muda constantemente.
  6. Estudar de graça e sozinho. A Internet, que surgiu graças a computação e engenharia, dissemina o conhecimento e a informação. Isto permite que você consiga estudar muitas coisas na internet de graça e praticamente sozinho. Na área de computação podemos dizer que vai além. Dificilmente você poderia ser um médico estudando apenas pela internet, porém em computação isto é totalmente possível. Os MOOCs (Massive Open Online Course, em tradução livre, Curso Online Aberto e Massivo) são amplamente utilizados para ensinar computação. Os MOOCs são cursos abertos e ensinados por meio de ambientes virtuais de aprendizagem. Embora o projeto e participação em um MOOC possa ser semelhante ao de um curso em uma faculdade ou universidade, eles normalmente são gratuitos e não exigem pré-requisitos, mas também não oferecem certificados de participação. São ofertados para um grande número de alunos e possuem grande quantidade de material. Talvez, no futuro, possa haver validação por uma Universidade através de uma avaliação presencial.
  7. Inglês. Tudo em computação é baseado em Inglês. Portanto, você passará a ler e a escrever tudo em inglês. Isto se tornará ao longo do tempo totalmente natural para você.
  8. Empreender. A computação é a profissão que permite, mais facilmente, a uma pessoa ter seu próprio negócio e com baixo investimento. Você pode empreender de sua casa e criar um negócio na internet sendo acessado por bilhões de pessoas. Este é um dos pontos mais destacados pelo prof. Pedro Frosi e eu concordo plenamente.
  9. Inovação. Em todas as áreas de conhecimento é possível inovar. Todavia, a computação permite inovar não apenas na área mas nas demais áreas de conhecimento. Identifique algum negócio com baixo uso de tecnologia e ao implementar computação neste negócio você poderá se diferenciar no mercado.
  10. Oportunidades. Os sistemas computacionais estão presentes em todas as áreas, empresas e em tudo que fazemos. É difícil olhar para algo construído por homens e não ter computação envolvida nisto de alguma maneira. Desta maneira, as oportunidades para os profissionais de computação continuarão em alta, sobretudo nos países em desenvolvimento.

As oportunidades são inúmeras e mesmo que você não faça da computação a sua profissão principal, aprender matemática, lógica e saber programar poderá diferenciá-lo em qualquer área de conhecimento. O meu conselho é que todos aprendam matemática assim como aprendam a escrever e a programar.

Então por onde começar a programar e aprender mais sobre computação? Você pode receber mais conteúdos de computação e tecnologia assinando a  newsletter da Cedro Technologies. Aproveite também para conhecer os cursos oferecidos pela própria Cedro TechnologiescodeacademyCourserafreecodecampMIT OPEN COURSEWARE e UDACITY. Você pode começar a programar já!

Se no futuro desejar compartilhar sobre seu aprendizado na área de computação, fique livre para me escrever: leonardo.reis@cedrotech.com, @leoreis no MyPush app ou pelo LinkedIn.

E ainda, venha aprender a programar. Ensinamos aqui como programar um Bot (Robô) do Zero.

10 linguagens de programação mais utilizadas no mercado de tecnologia

O mercado de trabalho está buscando cada vez mais por profissionais com conhecimento de linguagens de programação. Como o acesso à tecnologia está mais facilitado, é comum que mais pessoas se interessem pela área, ainda mais considerando uma remuneração mais atrativa. Acompanhe neste artigo um compilado das linguagens de programação mais usadas em 2019 pelo mercado. Continue a leitura do artigo sobre as linguagens de programação mais usadas no mercado.

 

Gostou? Compartilhe:

Leonardo Reis

Leonardo Reis

Leonardo Reis é CEO da Cedro Technologies e entusiasta de inovações tecnológicas que revolucionam a sociedade, o mundo e o modo como vivemos.

  • Marcyś Gonçalves

    Texto muito bom! É por aí mesmo!

  • Josi Mar

    Muito bom. Adorei … os 10 motivo são muito construtivo

  • Diogo Mendes

    Uma profissão que nunca vai parar de estudar. Tem que ter uma boa cabeça. E cheio de funções que não acaba mais.

  • Raul Castro

    Ás vezes eu me pergunto sobre pq não faço uma faculdade de computação/programação. Programo desde garoto, passei por diversas linguagens. Acabei me formando em Economia. Hoje percebo colegas buscando o python e o R (sim, o perfil mudou, uma regressão linear é possível com algumas linhas de código).