10 dicas: como evitar erros em uma startup

18 / 08 / 2016

Estamos vivenciando um momento de inúmeras oportunidades de inovação. Mais do que nunca, a tecnologia da informação está permitindo inovar e revolucionar todas as áreas de conhecimento com ideias capazes de causar uma verdadeira disrupção no mercado. Novos negócios, diferentes pessoas e redução de custos.

Boa ideia X execução

As maiores startups e negócios digitais do mundo são sustentados por uma boa ideia, alinhada com planejamento e execução. Afinal, não adianta nada ter uma ideia excelente, se não conseguimos executá-la. O sonho pode virar pesadelo, com prejuízo tanto para o empreendedor, quanto para as pessoas envolvidas. Mas você pode minimizar ou evitar esses erros na sua startup com nossas 10 dicas.

Saiba como evitar erros:

1 – Comece certo

A expressão “pau que nasce torto nunca endireita” traduz bem a amarga experiência de muitos empreendedores. A jornada de crédito escasso e burocracia não é fácil, mas é importante começar certo. Observar o regulatório do seu mercado é fundamental se sua atividade é regulada. Claro que há startups, a Uber é um exemplo, que conseguem mover a opinião pública a seu favor e regulamentar a atividade, mas sabemos que é uma exceção.

Além do regulatório, é importante observar as obrigações com fornecedores, colaboradores, parceiros de negócios e o governo.

2 – Atraia os bons 

Quando atrair pessoas e talentos para trabalhar com você, seja claro com as regras e condições e prometa só o que pretende cumprir. Suas atitudes diárias falam mais que palavras e promessas. Defina o tamanho da equipe, o modelo de contratação e se precisará ter sócios ou não. Escolha bem os seus sócios, pois te acompanharão por muitos anos.

3 – Tenha uma ideia monetizável 

Ter uma ideia monetizável já é um passo importante para evitar erros em uma startup. Empreender é um desafio, mas aqueles que arriscam, na maioria das vezes, são apaixonados pelo que fazem. O lançamento da startup deve ser por uma oportunidade de mercado e não por uma necessidade pessoal de se recolocar no mercado, por exemplo. Quando começar qualquer negócio, se atente a oportunidade e não no que você acha que precisa.

4 – Comece pequeno, mas sonhe grande

Vi poucos empreendedores começarem algo grande logo de início. Comece com pé no chão. Você irá errar, portanto, é melhor errar enquanto ainda é pequeno. Conquiste seu primeiro mercado com um primeiro produto. Em seguida, lance um segundo produto ou expanda o seu mercado. Cuidado com os fatores macroeconômicos.

Durante a crise econômica brasileira de 2014-2016 vi com bastante pesar diversos empreendedores desistirem de seus negócios, muitos deles estavam alavancados financeiramente e não sobreviveram.

5 – Saiba o que escutar

Você precisa ser um excelente ouvinte, mas saber discernir o que deve ser retido. Converse com o máximo de pessoas, filtre e tenha sensibilidade para tomar as decisões. Não escute a todos, mas não seja soberbo.

6 – Não comece nada com conflitos

Cuidado com os conflitos pessoais ao iniciar qualquer negócio. O novo negócio que condiz com os seus princípios e valores? As pessoas que você irá convidar para iniciar o projeto tem os mesmos valores? O negócio que está sendo elaborado representa uma ideia original que você teve ou está aproveitando uma ideia que, por ética, não deveria? Estas são perguntas que o empreendedor deve fazer.

7 – Prototipe e valide a ideia

Evite sair fazendo. A prototipação e a validação da ideia são passos fundamentais no negócio. Desenhe seu produto e mostre para as pessoas. Isso valida e melhora sua ideia. Apresente-a para possíveis compradores. Peça um feedback honesto sobre o que você está propondo e permita críticas.

O brasileiro geralmente não gosta de criticar, talvez seja importante expressar claramente “Não fique constrangido. Eu estou aqui, realmente para validar se isto faz sentido ou não. Me dê seu honesto feedback”.

8 – Modelo de negócio realista e mercado-alvo

Evite focar o seu produto em um mercado pequeno ou grande demais. Equilíbrio é sempre a melhor escolha. O ideal é ter um produto que funcione em um mercado maior, mas que possa ser lançado em um nicho controlável. Imagine um app de táxi.

Ao invés de começar em todo o país, os empreendedores sensatos geralmente começam em uma única cidade e depois expandem a atuação. Conheça muito bem o seu mercado. Ele existe ou será criado? Tenha um modelo de negócio ou no máximo dois para iniciar.

9 – Saiba para onde ir

Tenha um objetivo e uma boa estratégia. Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve. Defina claramente seu objetivo e estratégia. Preocupe-se em selecionar indicadores e metas que atestem que seu alvo foi alcançado. Seja modesto na quantidade de KPIs (indicadores-chaves) e esbanje no volume de métricas, elas serão o suporte para os seus indicadores.

10 – Escolha dos parceiros

A tecnologia já é parte fundamental de qualquer empresa, mas para as startups e fintechs é ainda mais imprescindível e permeia toda a estrutura. Como a escolha do parceiro tecnológico acontece no início do projeto, isto pode implicar riscos de médio e longo prazo não mapeados.

Procure um parceiro de tecnologia que consiga te atender no início, mas que também consiga caminhar com você durante o desenvolvimento de sua startup.

 

Gostou das nossas dicas? Deixe seu comentário. Espero que seja útil na sua jornada empreendedora.