home Sem categoria Voce é uma startup!

Voce é uma startup!

Se você nunca teve contato com o mundo de startup, você não sabe o que está perdendo. Salas cheias de empreendedores aparentemente loucos com grandes ideias, tentando criar algo novo para lançar no mercado. A maioria fracassará, pelo menos, em seu projeto atual.

Muitos deles nem sabem o que estão buscando, mas estão descobrindo os detalhes com o passar do tempo. Mesmo os que entendem o que as pessoas querem provavelmente não estão certos de como criá-los. Contudo, esses heroicos geradores de valor têm ideias e estão determinados a torná-las realidade.

Tudo que escrevi sobre startups se aplica a você, individualmente, em especial, caso esteja procurando emprego, iniciando ou mudando de carreira. O produto que você está tentando levar ao mercado chama-se empregado. Aqui seguem as melhores práticas do mundo de startup que poderiam ajudá-lo em sua caminhada de sucesso profissional.

Não tente fazer tudo sozinho

Já encontrei muitos profissionais maduros e jovens imaturos que pensam que, por serem contratados como indivíduos, a sua preparação deve ser feita como um indivíduo. Não é tão simples. Sucesso requer uma ampla rede de suporte de investidores, fornecedores, mentores, parceiros na área, etc.

Você não é diferente. Você deve cultivar ativamente uma rede de pessoas que tem interesse em seu eventual sucesso. Não tenha medo de pedir a amigos que simulem entrevistas ou de ficar em contato com professores da faculdade. Fale com pessoas no trem e, se você encontrar alguém que possa ajudá-lo no futuro, pegue seu cartão de visita. Você pode ser capaz de ajudá-las.

Seu CV é equivalente ao pitch side deck¹ de um empreendedor. Como ele, você deve investir horas e horas afinando os detalhes, apresentando seu CV para dezenas de pessoas em busca de feedback antes de divulgá-lo. Se você for estudante universitário, utilize os recursos incríveis da instituição, além de expandir seu networking.

¹Pitch deck – “apresentação de slides” que sintetiza o seu plano de negócios.

Customer Discovery² é crítico

Provavelmente, você tem uma ideia do que os empregadores estão buscando. Mas você, de fato, investigou? Quantos pontos você analisou para desenvolver a ideia? Provavelmente, você reuniu conselhos de membros da família, do coordenador de sua escola e, talvez, de alguns artigos da internet. Sim, isso não é suficiente.

As startups sediadas na incubadora VentureLab na Georgia Tech têm que sair do escritório, realizando, no mínimo, 100 entrevistas com clientes potenciais. É o básico para entender o mercado em que você quer entrar. Se você ainda não fez tal pesquisa, provavelmente não sabe o que empregadores estão, de fato, buscando e há uma boa chance de você estar operando sob premissas falhas.

²Customer Discovery – segundo Steve Blank, é uma etapa do Customer Development. Ela tem como objetivo transformar as hipóteses do negócio em fatos, isto é, provar que um determinado mercado possui um “problema”, e que a sua “solução” (produto), atende a essa necessidade dos clientes no valor proposto. A outra, Customer Validation, refere-se ao objetivo de encontrar um modelo de negócio escalável para o produto. FONTE: www.manualdasstartup.com.br/blog/tag/customer-discovery/

Aborde o processo de customer discovery de forma sistemática. Escreva uma lista de premissas críticas sobre o mercado de seu produto atual. Trate-as como hipóteses e reúna evidências para confirmá-las ou refutá-las por meio de entrevistas informacionais e pesquisas online. Você pode pensar que um diploma é um aspecto fundamental para os clientes de seu mercado-alvo. Caso não seja, é algo que você precisa saber. Talvez seu cliente-alvo exija algum recurso que você não esteja disposto a incorporar, como cumprir longas horas de trabalho ou viajar constantemente. É fundamental identificar o que os clientes potenciais desejam, a saber, o product-market fit (alinhamento entre produto e mercado).

Encontre o product-market fit

O product-market fit é muito mais que ter uma ideia que você pensa que as pessoas desejam. Você não tem um product market-fit até você ter um processo demonstrável e repetitivo de produção de algo pelo que as pessoas, de fato, comprarão. O customer delivery é parte do processo. Da mesma forma, P&D, marketing, finanças e todo outro aspecto de sua startup.

Muito tem sido escrito sobre o tema, mas a única forma de alcançar um product-market fit no mercado de trabalho passa por um processo iterativo de refinamento do seu entendimento do mercado de trabalho e as habilidades que você deve ter consigo como empregado. Uma ferramenta que pode ajudá-lo a manter todas as suas hipóteses organizadas e preenchidas é via BMC (Business Model Canvas).

canva

As seções do BMC começam na esquerda com os aspectos operacionais adjacentes que se tornam cada dia mais focados no cliente (ou empregador) à medida que você vai para a direita. A proposição de valor é a intersecção entre suas capacidades e as necessidades do seu cliente. Se você ainda tiver uma proposição de valor clara depois de dezenas de melhorias iterativas em seu plano, é provável que você esteja perto de um bom product-market fit.

Se a sua proposição de valor se torna mais fraca à medida que melhora sua hipótese, você pode repensar radicalmente o tipo de empregado que você deseja ser ou o tipo de empregador para o qual você quer trabalhar. Mudar pode ser difícil, em especial, se você vinha se qualificando por anos para um certo tipo de carreira ou se você percebe que algumas habilidades ou experiências que você obteve não são valiosas no mercado. Embora mudar possa ser desafiador, é absolutamente essencial buscar o melhor product-market fit. Insistir em usar habilidades adquiridas não valiosas no mercado somente atrasará seu eventual fracasso, e necessário reposicionamento.

Fracasse rapidamente

É um aspecto triste de nossa cultura ver o fracasso como algo ruim, já que o crescimento é impossível sem ele. O fracasso não é ruim, mas um fracasso lento pode ser. Qualquer gerente de P&D pode lhe dizer a importância de fracassar rapidamente de forma que novas lições possam ser incorporadas, e recursos escassos não sejam desperdiçados com projetos inadequados. Todo o CV que é rejeitado, toda a entrevista que não dá certo, e mesmo toda a demissão sem justa causa, é parte vital de seu esforço pessoal. Quanto mais rápido o fracasso, melhor.

Cada fracasso lhe dá informação importante para refinar seu product-market fit. Se seu CV foi rejeitado, por quê? Você está se candidatando para o trabalho errado? Existe um erro em seu resumo? Talvez a empresa em questão enfatize referências empregatícias, logo você deveria tentar ter contato com pessoas na empresa. Se você não passar em uma entrevista de emprego, peça um feedback. Muitos gerentes de recrutamento não lhe darão feedback, mas muitos o farão e ele é inestimável.

Ser demitido de um emprego não é legal, mas a única coisa pior que isso é gastar mais tempo nessa empresa, fracassando lentamente. Aquele tempo será muito mais valioso se for gasto no aperfeiçoamento de seu CV e em sua estratégia geral.

O feedback que você recebe na entrevista de desligamento é um dos mais valiosos. É como se um cliente devolvesse o seu protótipo com informação detalhada sobre o porquê não atende o que necessitavam. Muitos negócios pagam muito por esse tipo de insight de mercado e você o está recebendo de graça. Então, aprenda com isso, mantenha o foco no cliente, mude algo e siga em diante.

Por fim, nunca se esqueça de que você é um empreendedor, o proprietário da empresa “Você”, independentemente de ter um único cliente ou milhares. Aprenda continuamente sobre seus clientes e se suas necessidades mudarem, mude seu leque de produtos. Encontre parceiros que tenham interesse em seu eventual sucesso. Talvez, mais importante, trate o fracasso como uma valiosa experiência de aprendizado e fracasse rapidamente de forma a investir seu tempo e dinheiro em projetos mais exitosos.

Artigo original: “You Are a Tech Startup”
Autoria: Max Hill

Gostou? Compartilhe:

Equipe Cedro

Equipe Cedro

Empresa focada em tecnologia e referência em inovação para o mercado financeiro e em soluções de TI e mobile.