home Sem categoria O que é Robo-Advisor: um relatório completo

O que é Robo-Advisor: um relatório completo

Os robo-advisors são plataformas que usam algoritmos para gerenciar e alocar fundos do investidor. Esses serviços analisam o estado financeiro atual de cada cliente, aversão ao risco e objetivos. A partir daí, recomendam o melhor portfólio de ações ou ativos disponíveis com base nesses dados.

São uma classe de consultor digital financeiro que oferece gerenciamento de portfólio online com uma intervenção humana mínima. Embora suas recomendações possam variar, todos eles empregam algoritmos como teoria do portfólio moderno e outras ferramentas.

Outras designações comuns para robo-advisor incluem “consultor de investimentos automatizado”, “gerenciamento de investimentos automatizados”, “plataformas de consultoria digital”, “robo-adviser”, “robo-banker”, “robo-banking” e “digital-advisor”. Todos eles se referem à mesma mudança do consumidor para gerenciamento de investimentos, indo ao encontro de aplicativos e serviços de Fintechs.

Resumindo, é uma solução de gerenciamento patrimonial ou gerenciamento digital de patrimônio, conhecido em inglês como “Digital Wealh Management”.

Entendendo a popularidade do Robo-Advisor

O gerenciamento de riqueza tem sido um campo lucrativo para os bancos nos últimos anos, no entanto veio com risco de reputação, como consultores mal treinados, incompetentes ou antiéticos, empurrando os clientes para investimentos mais alinhados com as estruturas de comissões da equipe do que os interesses dos clientes.

Os robo-advisors estão crescendo cada vez mais em popularidade, e esses serviços automatizados estão ameaçando levar grandes quantidades de negócios dos consultores financeiros tradicionais. Vários segmentos diferentes do público já aproveitaram os robo-advisors por várias razões.

Muitos conselheiros financeiros tradicionais decidiram colaborar com os robo-advisors em vez de tentar competir diretamente com eles, e essa estratégia ajudou a simplificar o processo e a reduzir os custos. Dado os custos e riscos de empregar consultores financeiros bem pagos, é compreensível que os bancos se sintam atraídos pela automação da função.

Os millennials usam robo-advisors porque removem o “trabalho de adivinhação” percebido ao investir, o que proporciona uma medida de conforto a investidores millennials hesitantes. Muitas vezes, também oferecem taxas mais baratas que os conselheiros humanos, o que também os torna atraentes para esse grupo. E os aposentados e indivíduos de alto patrimônio líquido geralmente podem testar robo-advisors pois têm mais renda disponível.

Um novo relatório da BI Intelligence olha para o mercado de serviços de robo-advisor, porque apresenta uma oportunidade para as empresas tradicionais de gestão de patrimônio; os conselheiros podem ser bem-sucedidos, pois as companhias tradicionais começam a oferecer seus próprios serviços.

Aqui estão alguns dos principais pontos de relatório:

-As grandes e históricas gerenciadoras de patrimônio não perderão para startups como a Betterment ou Wealthfront; em vez disso, estão abraçando a tecnologia e lançando seus próprios produtos, que estão sendo dimensionados rapidamente.

-Os consumidores em todas as classes de ativos são receptivos aos robo-advisors, incluindo os ricos: 49% desse grupo considerariam investir alguns de seus ativos usando robo-advisor.

-A maioria dos ativos gerenciados por robo-advisors virá de pessoas que já possuem alguns investimentos. Estimamos que o volume de ativos que vem de pessoas que atualmente não investem será inferior a 1% do total até 2020.

-Startups podem achar difícil escalar nesse mercado e precisarão diferenciar seus produtos para ter sucesso. Inclusive, já estão fazendo isso, fornecendo serviços “white label” para gerentes de patrimônio e soluções mais exclusivas e customizadas.

As plataformas e empresas atuantes

Fundada em 2007, a SigFig é apoiada por instituições financeiras líderes, incluindo Eaton Vance, Comerica Bank, New York Life, Santander InnoVentures e UBS, bem como empresas de capital de risco de nível superior, incluindo a Bain Capital Ventures, a DCM Ventures, a Nyca Partners e Union Square Ventures. A SigFig está sediada em São Francisco, Califórnia.

Segundo a Finextra, a Wells Fargo Advisors está oferecendo conhecimentos da SigFig para ajudar a construir a plataforma que promete ajudar os investidores a construir, implementar e reequilibrar portfólios on-line adaptados com base em respostas aos questionários de investimento.

A Fidelity Investments está lançando sua ferramenta de gerenciamento de patrimônio digital, a Fidelity Go.

Plataformas Independentes:

  • Betterment (USA)
  • Wealthfront (USA)
  • Personal Capital (USA)
  • Blooom (USA)
  • Acorns (USA)
  • SigFig (USA)
  • WiseBanyan (USA)
  • Folio Investing (USA)
  • Motif Investing (USA)
  • Marstone (BNY Mellon-Pershing)
  • Magnetis (Brasil)
  • Vérios (Brasil)
  • Warren (Brasil)
  • Monetus (Brasil)
  • Robobanking (India)

Empresas com Robo-Advisor:

  • Vanguard Personal Advisor Services (USA)
  • Schwab Intelligent Portfolios (USA)
  • BlackRock Future Advisor (USA)
  • Fidelity Go (USA)
  • TD Ameritrade Essential Portfolios (USA)
  • E-Trade Adaptive Portfolio (USA)
  • Rico Alkanza (Brasil)

Os fatores positivos no novo mercado

  • A riqueza global está concentrada. A maioria do AUM (assets under management) mundial está em mãos de uma parcela extremamente pequena da população global. Portanto, apenas algumas pessoas de alto patrimônio líquido ou HNWI (High Net Worth Individual) precisariam que os robo-advisors gerenciassem uma parcela de seu dinheiro sem afetar drasticamente o AUM para investidores automatizados. A BI Intelligence espera que 60% destas HNWI invistam 20% de seus ativos em robo-advisor até 2020, o que equivaleria a aproximadamente US$ 6,4 trilhões.
  • A Ásia impulsionará a adoção de robo-advisor. A região da Ásia-Pacífico (APAC) ultrapassará os EUA em riqueza investida no final deste ano de 2017. Portanto, a BI Intelligence espera que a região APAC represente US$ 2,4 trilhões no robo-advisor AUM até 2020.
  • Os consumidores estão interessados em investimentos automatizados. O público investidor é amplamente receptivo aos robo-advisors, graças à facilidade de uso e à capacidade de administrar o estresse e de se preocupar com os investidores. A BI Intelligence descobriu que 49% das HNWI em todo o mundo considerariam permitir que um robo-advisor gerenciasse pelo menos algumas das suas riquezas.
  • O robo-advisor tem vantagens em relação aos consultores financeiros humanos tradicionais. Na maioria dos casos, as empresas podem oferecer serviços de robo-advisor com taxas significativamente mais baixas do que os conselheiros humanos tradicionais, mantendo ainda o mesmo retorno do investimento. Isso permite que essas empresas se promovam para um segmento muito mais amplo do mercado, como millennials, que podem ser contrários em confiar seu dinheiro nas mãos de um conselheiro humano.
  • Pesquisa da KPMG LLP com 1.500 clientes bancários:
    • US$ 26 bilhões é o valor de novos ativos de clientes gerenciados por quatro empresas proeminentes com robo-advisor no final do segundo trimestre de 2015.
    • US$ 50-60 bilhões é a previsão para ativos de robo-advisor digital até o final de 2015.
    • US$ 500 bilhões é a projeção para o valor do mercado de robo-advisor em 2020.
    • Até 2020 US$ 2,2 trilhões de investimentos existentes e novos será gerenciado por robo-advisor.

banner-cta-tendencias-ti

E quem usaria o Robo-Advisor?

A seguir, listamos cinco grupos que usam e se beneficiam dos robo-advisors e também as explicações de como esses produtos automatizados atendem a cada segmento:

  1. Agentes Autônomos de Investimento (AAI) e Assessores Financeiros

Um Agente Autônomo de Investimento (AAI) é simplesmente um consultor, firma ou empresa que oferece conselhos e está registrado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) com credenciamento na Ancord. Esses consultores financeiros têm responsabilidade fiduciária com seus clientes para garantir que eles forneçam o melhor conselho financeiro possível e atuem no melhor interesse de seus clientes.

Então, por que um consultor financeiro humano faria uso de um robo-advisor? Em muitos casos, as empresas decidiram trabalhar em cooperação com robo-advisors, em vez de tentar competir diretamente com eles. E esta estratégia tem muitos benefícios.

As características do robo-advisor híbrido simplificam a parcela de gerenciamento de investimentos e consultoria financeira da empresa, o que torna o processo inteiro mais eficiente. Isso permite que o consultor humano execute tarefas que um robô não pode ou não deve como planejamento financeiro, orçamento e planejamento de eventos.

  1. Millennials

Robo-advisors e os millennials (geração Y, também chamada de geração do milênio ou geração da internet) devem andar de mãos dadas. As pessoas nos seus 20 e início dos 30 anos foram criadas com tecnologia, que continua sendo parte integrante da vida diária. Como resultado, robo-advisors normalmente miraram neste segmento, porque investidores millennials querem economizar dinheiro e muitas vezes não possuem riqueza suficiente para garantir a atenção e o interesse de um conselheiro humano.

Além disso, há millennials que não confiam em conselheiros humanos. Lembre-se de que a crise financeira marcou esse segmento da população, que viu as economias de seus pais aparentemente se evaporarem durante a noite. Como resultado, apenas 1 em 3 millennials colocam parte do seu dinheiro no mercado de ações, de acordo com os dados do Bankrate.com divulgados em julho de 2016.

Então, por que essas pessoas confiariam em um conselheiro humano que poderia ser tão suscetível às falhas que causavam a crise financeira?

É aí que os robo-advisors entram na foto. Esses investidores automatizados removem o “trabalho de adivinhação” percebido por meio do investimento, o que proporciona uma medida de conforto a investidores millennials. E normalmente, robo-advisors oferecem taxas mais baratas que os conselheiros humanos, o que também os torna atraentes para esse grupo.

  1. Aposentados

À medida que a geração Baby Boomer envelhece e entra na aposentadoria, os robo-advisors também tornam-se mais atraentes para eles. Considere que dois terços dos clientes do Serviço de Advisor Pessoal da Vanguard estão perto da idade da aposentadoria ou já estão aposentados, enquanto aproximadamente metade dos clientes do Portfolio Inteligente da Schwab tem mais de 50 anos.

Os Baby Boomers geralmente têm mais riqueza do que millennials e gerações mais novas, então provavelmente eles têm maior volume de AUM. E aproximadamente 60% usam algum tipo de assessor financeiro, o que significa que  robo-advisors podem e devem direcioná-los.

  1. Indivíduos de Alto Patrimônio Líquido (HNWI)

Este grupo (High Net Worth Individual) realmente detém a maioria do poder sobre robo-advisors porque a maioria do AUM global está nas mãos dessa pequena parcela da população.

Isso significa que apenas um punhado de pessoas de alto patrimônio líquido (HNWIs) precisam colocar algumas de suas riquezas nas mãos dos robo-advisors para ter um efeito significativo no AUM.

Além disso, 49% das HNWI em todo o mundo considerariam o uso de um consultor automatizado, por isso é concebível que essa mudança possa ocorrer nos próximos anos.

O My Private Banking realizou uma pesquisa de 600 HNWIs nos EUA e Reino Unido e descobriu que mais de 70% dos entrevistados pensam que as ferramentas de investimento online e automáticas podem afetar positivamente o conselho e a tomada de decisões do seu gerente de patrimônio.

Além disso, a adoção de robo-advisor está ocorrendo mais rapidamente no segmento de alto valor líquido do que o público afluente de massa, com o uso atual de ferramentas de gerenciamento de riqueza online em 43% e 17%, respectivamente.

  1. Qualquer pessoa que invista

Nos próximos anos, praticamente todos os investimentos serão pelo menos parcialmente automatizados.

O serviço de pesquisa premium BI Intelligence, do Business Insider, prevê que robo-advisors gerenciem cerca de 10% de todo o AUM mundial até 2020.

Isso equivaleria a aproximadamente US$ 8 trilhões. Assim, como robo-advisors puros e híbridos começam a gerenciar mais riqueza global, mais investidores se beneficiariam em permitir que esses serviços automatizados gerenciassem suas riquezas.

Fontes de pesquisa: Paulwallbank, Businessinsider, BI Intelligence Report, My Private Banking, Sigfig, Finextra, Bankrate, KPMG, Investopedia, Reuters, Valor, Exame.com

Gostou? Compartilhe:

Irving Chang

Irving Chang

Consultor de Negócios para o mercado de capitais e corporativo, com mais de 20 anos de experiência com sistemas financeiros pela América Latina