home Sem categoria Confira nossas 6 dicas de investimentos em fundos multimercados!

Confira nossas 6 dicas de investimentos em fundos multimercados!

Fundo multimercado é o nome dado para o investimento que mescla vários tipos de ativos. Em um mesmo fundo dessa categoria, podemos encontrar negócios ligados a renda fixa (CDB e títulos públicos e privados), ações, derivativos e câmbio.

Graças a essa variedade de ativos, os fundos multimercados conquistaram rentabilidades cada vez mais altas. Por isso, caíram nas graças dos investidores e hoje são uma das principais escolhas para quem quer diversificar sua carteira de investimentos e buscar maiores ganhos.

Se você também pertence a esse grupo, leia este post! A seguir daremos seis dicas para quem quer investir em fundos multimercados. Confira!

1. Conheça seu perfil de investidor

Apesar de ser um investimento muito atrativo, o fundo multimercado não é recomendado para qualquer perfil de investidor. Sua lucratividade está diretamente associada à taxa de juros básica do país, a Selic, ao valor do dólar e ao crescimento da Bolsa de Valores de São Paulo, a Ibovespa.

Graças a esses aspectos, esses fundos podem ser a aplicação mais rentável do país, mas também estão sujeitos a sofrer grandes variações e trazer prejuízos para os cotistas. Dessa forma, podemos dizer que investidores conservadores não se sentem tranquilos ao colocar dinheiro nesse mercado.

Logo, o fundo multimercado figura como excelente oportunidade para pessoas com perfil de investidor moderado ou arrojado. Eles aceitam melhor as oscilações em seus ganhos e estão dispostos a abrir mão de um pouco de segurança em prol de maiores rentabilidades.

Além disso, o fundo multimercado não é indicado para quem está começando a investir. O ideal é que você primeiro monte sua reserva de emergência e só depois busque por opções mais rentáveis. Assim, não existe o risco de todo o dinheiro ser perdido no caso de uma eventualidade.

2. Entenda os tipos de fundo disponíveis

Os fundos multimercados são muito versáteis. Isso dá ao gestor a liberdade para investir em praticamente qualquer ativo disponível. Portanto, nenhum fundo é igual ao outro e você precisa escolher muito bem aquele que mais combina com seus objetivos.

Dependendo do gestor, o fundo multimercado pode ser composto, por exemplo, por rendimentos de juros, a famosa renda fixa, e variações no câmbio. Isso traz mais segurança para o investimento, mas também reduz drasticamente sua rentabilidade.

Por outro lado, alguns gestores buscam um equilíbrio maior e optam por aplicar em derivativos, alguns títulos públicos e privados, câmbio e ações. Nesses casos, o risco é um pouco maior e os ganhos também melhoram.

Apesar dessas duas opções serem interessantes, precisamos lembrar que os fundos multimercados atraem investidores devido à sua rentabilidade. Existe uma terceira opção: investir em um fundo no qual o gestor focou em ações e derivativos, deixando poucos ativos atrelados aos juros.

Nesse último caso, o investidor fica sujeito a riscos bem maiores, mas também tem a chance de ter em mãos um dos tipos mais rentáveis de fundos de investimentos.

3. Veja as taxas do fundo multimercado

Além dos produtos que compõem a carteira, você também precisa ficar atento às taxas praticadas pelo fundo. Mesmo com excelentes ativos, um investimento pode deixar de ser rentável se elas forem muito elevadas.

Os fundos de investimento, de modo geral, têm três taxas:

  • taxa de administração — cobrada para remunerar todos os profissionais envolvidos com o fundo;
  • taxa de performance — usada para dar uma “remuneração bônus” ao gestor que fez um bom trabalho. Ele recebe esse bônus quando consegue fazer o rendimento do fundo ser maior do que o indicador em que se baseia (pode ser a Ibovespa, por exemplo);
  • Imposto de renda — os fundos de investimentos, inclusive o multimercado, não são isentos de imposto de renda. Então aqui vale aquela regrinha de que quanto maior o tempo de aplicação, menor é o imposto de renda que incide (até o mínimo de 15%).

4. Lembre-se que lucro passado não representa ganho futuro

Grande parte da atual fama dos fundos multimercados é gerada em função dos ganhos passados desse investimento. Em 2017, por exemplo, essa aplicação rendeu quatro vezes mais do que no ano anterior,segundo a revista exame.

Além disso, a Anbima constatou que o número de investidores adeptos desses fundos tem só aumentado. Por mais interessante que essa notícia possa parecer, precisamos lembrar de uma coisa muito importante: lucro passado não representa ganho futuro.

cenário econômico e político do país mudou, o dólar subiu, a Selic se manteve estável e a bolsa teve altos e baixos nos últimos meses. Tudo isso interfere no resultado do fundo, então faça uma boa análise antes de escolher em qual investirá, certo?

Apesar de ganhos passados não representarem o resultado futuro, você pode, sim, avaliar os gestores em função de seus desempenhos anteriores.

5. Fique por dentro do objetivo do fundo

Todos os fundos têm algum objetivo. Esse objetivo, ou benchmark, nada mais é do que um indicador de que o gestor do fundo tentará se equiparar e, às vezes, superar (nesse caso ele ganha o bônus da taxa de performance).

Para cada indicador, o gestor deve utilizar uma estratégia diferente. Por isso, você pode saber, mais ou menos, como o fundo funciona ao olhar os objetivos dele. Sempre confira o benchmark para ter certeza de que está investido no produto correto.

6. Esteja atento à liquidez

No primeiro tópico do texto, falamos sobre a importância da reserva de emergência para quem quer investir em fundos multimercados. Essa reserva não é importante apenas no caso de alguma eventualidade, mas também porque esses fundos são investimentos de médio a longo prazo.

Há fundos que têm liquidez diária (o investidor pode tirar o dinheiro a qualquer momento), mas a rentabilidade deles é melhor que a dos outros. Então, para ter acesso às melhores opções, você provavelmente terá que deixar seu dinheiro investido, sem poder mexer nele durante algum tempo.

Mas o que realmente importa é que, antes de investir em um fundo multimercado, leve-se em consideração o que abordamos aqui. Ao avaliar todos esses quesitos, certamente você fará um bom investimento.

Se gostou do conteúdo e quer continuar recebendo dicas como estas, assine nossa newsletter! Por meio dela, você recebe materiais exclusivos diretamente em seu e-mail!

Gostou? Compartilhe:

Rodrigo Santos

Rodrigo Santos

Rodrigo Santos é co-fundador e vice-presidente da Cedro Technologies. Atua desde 2005 no desenvolvimento de sistemas, banco de dados e produtos para o mercado financeiro.