home Sem categoria Cedro Talks: Eduardo Finzi – Diretor de Tecnologia

Cedro Talks: Eduardo Finzi – Diretor de Tecnologia

Na última semana, foi realizada em Uberlândia a 3° Semana Internacional de Comunicação. Eduardo Finzi, Diretor de Tecnologia da Cedro Technologies, foi convidado para ministrar uma palestra sobre o tema “Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação: Como gerar grandes Negócios”. Foram discutidos os principais desafios encontrados ao fundar uma empresa de tecnologia e qual deve ser o papel da política junto ao empreendedorismo e inovação.

Finzi, cuja formação é em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Uberlândia, com Pós-Graduação pela Faculdade Pitágoras em Gestão de TI,  tem sólida experiência na área de tecnologia, podendo compartilhar com todos os presentes os seus 10 anos de atuação no mercado uberlandense. Abaixo, você encontra um bate papo com Finzi sobre inovação e empreendedorismo que foi parte de sua palestra no evento.

O que o levou a empreender e acreditar na Cedro Tech?

E.F: Naquele tempo foi oportunidade. A Cedro tem 10 anos. Nosso presidente, Leonardo, teve uma ideia em 2004 que tomou corpo em sua passagem por Lyon, na França, através de um intercâmbio com a UFU. Em 2005, a ideia virou realidade e construímos a primeira plataforma eletrônica de negociação para o mercado financeiro. Da mesma forma que Peter Thiel cita em seu livro De Zero a Um, criamos algo inovador. Até meados de 2012 surfamos essa onda, tivemos um monopólio do mercado com mais de 40 corretoras como clientes. Nosso produto não tinha concorrência.

Quais os principais desafios como empreendedor?

Durante o processo e criação foi o recurso financeiro. Éramos estudantes sem crédito no mercado, apenas com uma ideia promissora em mente. Vendemos o que tínhamos para dar início, mas, mesmo assim, faltou recurso para finalizarmos a primeira versão, que foi prontamente adquirida pelo Banco Itaú. No segundo momento, nosso principal desafio foi a concorrência. Outros fornecedores começaram a nos copiar. Nesse momento, já estávamos com mais de 200 funcionários, três filiais e com uma folha salarial de mais de 1 milhão de reais. Nossos preços não foram mais competitivos e estávamos engessados por metodologias e processos que dificultavam a inovação.

Qual deve ser o papel da política junto ao empreendedorismo e inovação?

  • O estado deve ter um papel positivo no desenvolvimento da inovação. Esse papel seria comprando das startups os produtos, confiando no que se produz, dando a oportunidade de erro. Para maturidade da empresa e evolução do produto, o estado é importantíssimo. Podemos citar os EUA como exemplo: durante a Guerra Fria o estado investiu pesado em tecnologia, produziu novos conceitos e depois abriu para a iniciativa privada dar evolução.
  • Permitir o erro. Nosso presidente Leonardo cita que a inovação ocorre em dois momentos: Primeiro vem a crise (ou se inova ou morre), e em segundo a oportunidade (melhor dos mundos). O estado tem que dar condição para uma startup errar uma, duas, três vezes. Hoje em dia se errarmos não temos outra chance, devido aos custos atrelados a isso. Outro fato importante é que precisamos criar mecanismos para que jovens recém-formados possam ser empreendedores. Talvez a escolha de seguir uma carreira profissional tradicional acontece por medo de errar ao empreender.
  • Não atrapalhar. Manter estável a política e economia do país. Isso é estritamente necessário para o desenvolvimento de novas tecnologias e inserção de capital estrangeiro.

Existe uma fórmula para inovar?

Não. A inovação é criar um futuro diferente, algo inovador. Se existisse, certamente já não seria mais inovador. Haveria várias cópias.

Qual a importância do modelo de negócio no desenvolvimento da startup ou empresa?

Para criar algo inovador, é preciso criar algo novo e não formatado, copiado. Por isso, quanto menos burocrático o processo, melhor. O processo de inovação e concepção da ideia tem que ser esgotado ao máximo. Depois, é necessário implementar o conceito e disponibilizar para o cliente degustar. Não se pode perder tempo nenhum aqui. Na Cedro, utilizamos o Canvas para guiar as discussões em torno da ideia, desburocratizando o processo de criação.

Esta foi a primeira parte do papo que aconteceu no seminário. Nesta quinta-feira, 19, iremos publicar o restante da entrevista. Fique ligado!

Gostou? Compartilhe:

Pablo Souza

Pablo Souza

Relações Públicas com foco em relacionamento e planejamento digital na Cedro Technologies.