home Sem categoria 3 cases de Transformação Digital com parceiros da Cedro

3 cases de Transformação Digital com parceiros da Cedro

A tecnologia muda a todo instante e o mundo também em um ritmo cada vez mais veloz. Hoje, um dos maiores desafios é acompanhar as novas tendências e reinventar os processos, para que eles sejam mais simples, dinâmicos, ágeis e eficientes.

Nas empresas, independentemente da área, este não é um desafio exclusivo do CIO, que deve manter seu olhar sempre atento às novas informações e demandas. É também, uma das principais tarefas de qualquer profissional.

Hoje, no Brasil, muitas empresas mostram que estão atentas ao movimento da transformação digital. Por isso, já voltam esforços e investimentos ao estudo e à implementação de tecnologias para o mercado financeiro.

Segundo dados de pesquisa realizada pela Capgemini, em parceria com a Pegasystems, provedora de aplicações de negócios sobre maturidade digital dos bancos no Brasil, 53% das instituições que ofertam serviços financeiros afirmam que dispõem de uma estratégia para transformação digital e que o assunto envolve mudanças radicais em comparação ao atual formato de atuação. Existe um movimento de reinvenção, pautado pela tecnologia.

Mas é claro que ainda há muito a ser feito e, principalmente, diferentes caminhos a serem desbravados e recursos a serem explorados. Ainda de acordo com a pesquisa realizada pela Capgemini, 78% das empresas do segmento financeiro estão se pautando pela transformação digital, com forte presença nas redes sociais.

Porém, apenas 32% vendem produtos ou serviços e somente 38% monitoram os posts e comentários dos internautas.

Tecnologia traz novas possibilidades a serem exploradas

Existe um universo de novas alternativas a ser explorado com as novas ferramentas tecnológicas. De acordo com a pesquisa da Capgemini, o uso de analytics para qualificar potenciais vendas, por exemplo, ainda não é tão representativo: somente 40% faz uso. Mas na corrida pela transformação digital, mais da metade das empresas (51%) adota analytics para otimizar preços; 39% para personalizar suas ações de marketing; 63% para fazer melhorias operacionais.

A verdade é que já faz tempo que o investimento em tecnologia para o mercado financeiro deixou de ser uma opção para tornar-se elemento indispensável na corrida pela transformação digital e pelo sucesso.

É hora de conhecer histórias de quem aprendeu a ousar e, agora, está indo mais longe com o apoio da Cedro. Os cases compartilhados a seguir podem incentivar você a ir mais longe. Acompanhe abaixo o movimento das empresas do setor financeiro, conheça a história delas e inspire-se.

Investir em tecnologia para crescer

Vale lembrar que para investir em tecnologia para o mercado financeiro é preciso pensar em uma estratégia completa. Só assim é possível ofertar novos serviços digitais, com segurança. Para concretizar a transformação digital, considere três pontos-chave, elencados por Juan Pablo Jimenez,vice-presidente da Citrix para a América Latina e Caribe, em artigo para a revista CIO:

#1 Priorizar a segurança: quando as pessoas têm a vida financeira na palma da mão ou mesmo no desktop, elas querem praticidade e segurança. É preciso investir o suficiente para que seja, de fato, mais seguro e tranquilo usar o mobile banking do que o autoatendimento. Hoje, a virtualização da informação já oferece um acesso seguro aos dados, com vários níveis de autenticação e encriptação. É fundamental fortalecer ainda mais a segurança, porque hackers podem estar sempre de plantão.

#2 Mobilidade e informação em tempo real: os profissionais do time de TI têm acesso facilitado aos dados e recursos, na nuvem e em tempo real. Assim, é possível dar continuidade ao trabalho com mais produtividade e registra-se uma melhoria na performance da equipe.

#3 Abreviar distâncias para fortalecer a competitividade: com a virtualização das informações e dos dados, os bancos têm também a escritórios e aplicativos virtuais. São eles que levam todas as informações e orientações necessárias às equipes das empresas participantes de fusões, aquisições e investimentos e aos times das sucursais. Com profissionais munidos de conhecimento técnico e informação, garante-se um serviço de qualidade aos clientes.

O olhar do cliente

O movimento de transformação digital, empreendido pelas fintechs e demais instituições financeiras, também têm sido motivado pela curiosidade das pessoas, que se mantém conectadas em tempo quase integral, diariamente, e por isso tem preferência pelos serviços e produtos ofertados online. O mobile é um caminho sem volta que tende a ganhar cada vez mais usuários.

Neste cenário, você já parou para pensar como o cliente valoriza as ferramentas tecnológicas? É pensando neste perfil que o setor financeiro está se reinventando para atender o novo consumidor digital.

Segundo dados da pesquisa Febraban Tecnologia Bancária 2017, pela primeira vez, o smartphone passou a ser o canal mais utilizado pelos brasileiros para transações bancárias, ultrapassando o internet banking. Com mais de 21 bilhões de operações bancárias realizadas em 2016, o mobile banking já representa um terço de todas as transações. Mesmo com todo esse avanço, as iniciativas rumo à transformação digital não podem parar.

É preciso investir em tecnologia para o mercado financeiro. A mesma pesquisa da Febraban indicou ainda as três principais prioridades de investimentos em tecnologia voltada para o mobile banking:

  • 77% dos respondentes investem melhorias das transações com movimentação financeira
  • 54% fazem customização dos serviços pelo cliente
  • 46% priorizam a melhoria da acessibilidade

E esse tipo de investimento tem sido o foco dos clientes da Cedro. É hora de conhecer a história deles.

Cases de Transformação Digital com a Cedro

Veja quais passos os parceiros da Cedro já deram rumo à transformação digital e entenda como eles estão fazendo mais e melhor com o uso da tecnologia.

Banco Daycoval

Com 48 anos de história, o Banco Daycoval é especializado em crédito para empresas, crédito para pessoa física, produtos de câmbio (comércio exterior e turismo) e investimentos. Ao investir em tecnologia, o banco cresceu com muita solidez nos últimos 10 anos.

Alexandre Rhein, CIO do banco, argumenta que para garantir a sustentabilidade do negócio “preocupa-se em oferecer (ao cliente) o que foi prometido, de fato, em termos de dados financeiros, segurança e confiabilidade”.

No Daycoval, a transformação digital começou entre 2013 e 2014, com iniciativas que trabalham dados não estruturados, ou seja, garantem a automação dos processos que geram produtividade. No Daycoval, já é possível abrir uma conta de modo totalmente automatizado a um custo muito baixo, com uma experiência positiva para o cliente.

“O nosso principal desafio é crescer com o uso de novas tecnologias. A Cedro é uma parceira que nos trouxe conhecimento na área de mobile, bolsa e transações e permitiu que déssemos muitos saltos”, conta Alexandre.

Ele considera a Cedro uma empresa hightech, com alto nível tecnológico. “Nós sempre tivemos discussões de grandes temas com a equipe da Cedro. Posso considerá-la um advisor ou até mesmo vê-la como player de execução de novas alternativas”, finaliza o CIO.

Superdigital

O DNA da Superdigital já foi concebido na era da transformação digital. A fintech, que pertence ao Grupo Santander, quer apresentar ao seu público uma forma nova, muito mais intuitiva e inovadora, de se relacionar com o dinheiro.

Claudio Junes, Diretor de Tecnologia e Operações da Superdigital, conta que a Cedro apoiou a fintech no seu desenvolvimento. “A Cedro nos ajudou com a implantação do chat. A partir dele nós conseguimos acrescentar funções financeiras para aproximar as pessoas do que elas já estão acostumadas a fazer”, explica Claudio.

O MyPush, plataforma da Cedro, foi a referência usada pela Superdigital para criação do chat. “No desenvolvimento, nós excluímos funções de rede social como, por exemplo, a localização e incluímos funções financeiras. Com isso, o cliente Superdigital pode enviar dinheiro, receber dinheiro, rachar conta e até fazer vaquinha. Tudo isso pode ser feito a partir dos seus contatos do telefone”, comenta Junes.

O maior desafio da Superdigital é trazer a robustez e a segurança do mundo tradicional para a agilidade e flexibilidade de uma fintech. Diferente de outras, a empresa é uma fintech multisserviços, ou seja, agrega diversos serviços na mesma plataforma. Por isso, o desafio é maior. “Precisamos estar ligados a vários segmentos, mas sempre como um grande broker que tem um hub de serviços financeiros dentro da plataforma”, ressalta Junes.

A equipe de profissionais da Cedro trabalhou alocada para ajudar na conclusão da customização do sistema e a integração com a plataforma financeira.

A história da Superdigital começou em 2010 inicialmente com a oferta de cartões pré-pagos. Hoje, a fintech é uma instituição de pagamento autorizada pelo Banco Central (Bacen) que permite ao usuário fazer diferentes transações financeiras. Com isso, ela tem o objetivo de transformar a maneira como o dinheiro transita entre as pessoas, empresas e os estabelecimentos comerciais.

Para Junes, o objetivo é continuar com a visão da transformação digital e cada vez mais incorporar mais serviços cognitivos direcionados, investindo em inteligência artificial. “Estamos sempre atentos para acompanhar estas tendências, as novas ferramentas e incorporá-las na estrutura da plataforma não como uma solução de problemas, mas, sim, como algo que vai agregar, trazer sinergia e aumentar o valor percebido do serviço”, finaliza.

Toro Investimentos

Quem também trabalha rumo à transformação digital é a equipe da Toro Investimentos. De acordo com Gabriel Kallas, sócio-diretor, o digital sempre foi o coração da empresa. “Para encarar as transformações cada vez mais rápidas do mercado tem sido muito importante lembrarmos isso a todos (os profissionais da nossa equipe e também os clientes) e tornarmos algo central na nossa cultura”, argumenta Kallas.

Na trajetória da Toro, a Cedro aparece como uma grande parceira que tem contribuído para o aperfeiçoamento das soluções oferecidas aos clientes e também para o crescimento da fintech. “Nós contamos com o apoio da Cedro desde o início quando ainda éramos uma empresa de 10 funcionários e sentimos que até hoje essa parceria continua sendo muito importante”, relata Kallas. O apoio da Cedro impacta na qualidade dos serviços ofertados, na incorporação de novas tecnologias e, claro, no alcance de resultados cada vez mais positivos pela Toro.

Muito além das ferramentas tecnológicas, Gabriel afirma que a transformação digital está na cultura da empresa e na mente dos profissionais. Afinal, esse deve ser um horizonte comum partilhado pela equipe.

Há oito anos no mercado, a Toro é uma fintech que atua com foco em educação financeira e tem como missão deixar o mundo dos investimentos mais acessível, simples e lucrativo para todas as pessoas. Por isso, a empresa oferece o combo: conhecimento + inovações tecnológicas = soluções para que o cliente possa investir melhor.

A plataforma Toro Radar apresenta cursos exclusivos com o conhecimento de analistas especializados em Bolsa de Valores. O material inclui vídeos didáticos, com conceitos básicos até táticas avançadas de investimentos. Além disso, o cliente conta com o chat ao vivo com analistas, análises e gráficos de todas as ações da Bolsa e recomendações para operações de Day Trade, curto e longo prazo.

Lado a lado com a Cedro, rumo à transformação digital

Independente do porte da instituição, o investimento em tecnologia para o mercado financeiro é indispensável para a oferta de serviços de alto valor agregado. É a transformação digital que fornece condições para que a organização mantenha um ritmo constante de amadurecimento, acompanhando as tendências do mercado.

As instituições protagonistas da transformação digital se destacam no cenário, conquistam novos clientes e parceiros e crescem continuamente. E uma estratégia de atuação completa deve envolver a busca por um fornecedor especialista em tecnologia para o mercado financeiro, com experiência e sucesso no desenvolvimento de projetos na área. A Cedro é a melhor escolha quando o assunto é a escolha da parceria que levará sua empresa a dar o próximo passo rumo à transformação digital.

Para entender melhor como as tecnologias disruptivas podem impulsionar o crescimento da sua instituição, leia o e-book Tendências de TI para o Mercado Financeiro. Nele, você vai compreender esse cenário e como, com o apoio da Cedro, sua empresa vai avançar rumo ao futuro.

banner-cta-tendencias-ti

Gostou? Compartilhe:

Leonardo Reis

Leonardo Reis

Leonardo Reis é CEO da Cedro Technologies e entusiasta de inovações tecnológicas que revolucionam a sociedade, o mundo e o modo como vivemos.