home TI 10 tendências de TI para o mercado financeiro

10 tendências de TI para o mercado financeiro

Instituições financeiras costumam estar à frente no uso a tecnologia, seja no manejo de informação ou na estrutura como se comunicam com seus clientes. Hoje, transações que antes exigiam a presença do cliente numa agência já podem ser feitas em tempo real e de forma segura a partir de quase todo tipo de dispositivo.

Leia também:

8 prioridades para corretoras de ações e distribuidoras de títulos (DTVMs)

Ebook gratuito: Fintechs e a transformação do mercado financeiro

O mercado financeiro é campo fértil para as inovações. Nesse contexto, algumas tendências de TI já se destacam nesse cenário. Você sabe quais são elas? Não? Então, continue lendo e descubra agora!

1 – As fintechs serão cada vez mais importantes

Fintech é o nome dado às startups de serviços financeiros que chegam para quebrar a exclusividade dos bancos em diversos setores. Essas empresas oferecem serviços similares aos dessas instituições, mas com estrutura bem mais enxuta, reduzindo custos para fornecedores e clientes.

Um bom exemplo é o Lending Club, que conecta via internet pessoas que precisam dinheiro e quem deseja emprestar. Apenas em 2015, a startup conseguiu aportes na casa dos US$ 800 milhões e já figura na décima quinta posição entre as mais de oitocentas instituições financeiras que operam nos Estados Unidos.

2 – A realização de grandes parcerias entre bancos e empresas de tecnologia

De olho na tendência de crescimento das fintechs, soluções surgem para unir os bancos e serviços criados por terceiros. É o caso do Everyday Bank, da Accenture.

O Everyday Bank pensa na experiência do usuário e em como intensificar sua relação com a instituição bancária, que não fica completamente responsável pelo desenvolvimento de tecnologia, se integrando a aplicativos de terceiros de forma segura. Assim, é possível que os bancos prestem cada vez mais serviços gastando menos na hora de desenvolver tecnologia.

3 – O triunfo da informação

Quando pensamos em malha digital (ou malha de dispositivos, um extenso conjunto de pontos utilizados para o acesso a aplicativos e informações), vemos que tudo está integrado. Wearables, smartphones, tablets e o seu computador oferecem acesso constante às soluções bancárias e já podem ser vistos em ação, como no aplicativo do Itaú para o Apple Watch.

A tendência é que as estratégias utilizadas em todos esses dispositivos consigam ser compartilhadas para oferecer serviços cada vez mais precisos. Garantindo a competitividade no setor, a integração de diversas soluções digitais têm potencial inclusive para incluir aqueles que ainda não tem banco, por serem simples de entender e operar.

4 – Cloud Computing como aliada na redução custos em TI

A computação em nuvem está chegando ao tempo de sua maturação, podendo oferecer maior segurança, e tornando-a viável para aplicações bancárias. O mercado de cloud computing está crescendo mais rapidamente que o restante da indústria de tecnologia e no mercado financeiro será uma carta na manga, possibilitando que as empresas vejam a TI como um custo variável.

A redução de gastos proporcionada pelo cloud computing é o ambiente ideal para fomentar a inovação, possibilitando que diferentes tecnologias sejam desenvolvidas e implementadas a um custo menor.

5 – Aplicativos continuam em destaque no mercado financeiro

O uso de aplicativos continuará sendo uma tendência, principalmente no sentido de desbancarizar operações, como a administração de cartões de crédito. A primeira solução completamente digital para emissão de cartões no Brasil ocorreu por meio da NuBank.

Operando diretamente do celular, desde o cadastro de novos clientes até o recebimento da fatura, esse tipo de serviço usa o potencial mobile para cortar custos que seriam repassados ao cliente e oferecer benefícios, como anuidade zero.

Os bancos brasileiros estão entre os mais tecnológicos do mundo, tendo começado a investir em inovação ainda na década de 1970. Essa modernização, feita inicialmente visando a diminuir os impactos da inflação, trouxe vantagens para o setor, como o aumento da produtividade e a melhora do relacionamento com os clientes.

6. A expansão da inteligência artificial

Há muito se ouve falar em inteligência artificial, porém, o que antes parecia apenas coisa de filmes de ficção, hoje já está se tornando realidade.

O mercado financeiro reserva algumas surpresas quanto ao uso desse tipo de tecnologia. A AI (artificial intelligence) é, sem dúvida alguma, uma das tendências para os próximos anos. A aplicação desse conceito potencializa o desenvolvimento de sistemas e produtos altamente interativos e capazes de antever as necessidades humanas e até de se adaptarem a uma nova condição, de maneira totalmente autônoma.

7. A utilização da realidade virtual

Atualmente, os computadores, tablets, smartphones, smart TVs e uma infinidade de outros aparelhos eletrônicos tomaram conta das nossas vidas. Eles são responsáveis por auxiliar em diversas tarefas e nos deixar a par de tudo que ocorre ao nosso redor.

Contudo, uma tendência que promete se intensificar no futuro é a realidade virtual ou aumentada. Tal conceito reformula a nossa maneira de interagir com os objetos, serviços e softwares.

A partir dele passará a existir uma imersão muito maior em tarefas do nosso dia a dia, além de proporcionar uma maior integração entre o ambiente e os dispositivos, por meio da internet das coisas.

8. A consolidação da internet das coisas

Esse já é um conceito que vem se intensificando de forma acelerada com o passar do tempo. Contudo, essa é uma tendência que certamente irá se consolidar no futuro.

Não é difícil imaginar como o mercado financeiro fará uso desse conceito. Se com o nível conectividade que possuímos hoje, já temos tantas soluções tecnológicas à disposição, imagine só o que será possível quando praticamente todos os objetos puderem se comunicar uns com os outros e com o usuário.

Os serviços bancários, por exemplo, poderão migrar definitivamente para meios virtuais, além de ampliar o número de dispositivos capazes de realizar as operações.

9. Ampliação da utilização de aplicativo de malha

Essa é uma tendência baseada em outras bem comuns nos dias de hoje: conectividade e integração.

O aplicativo de malha é, na verdade, uma maneira de unir aplicativos móveis, aplicativos para desktops e aplicativos para a web, em uma verdadeira malha com outros serviços secundários, onde o usuário é capaz de ver todo esse emaranhado de aplicações como sendo uma única.

10. A popularização do Crowdfunding

Essa parece ser uma forte tendência do mercado financeiro em um futuro próximo. O Crowdfunding, que nada mais é do que uma espécie de financiamento coletivo, basicamente funciona a partir da obtenção de capital por meio da união monetária de diferentes fontes de financiamento, sites, aplicativos, etc.

Tal conceito já é bastante comum no levantamento de capital para pequenos negócios e startups — mas também tem outras finalidades. Nele, os investidores aplicam seu dinheiro em troca de uma participação no negócio.

As plataformas de crowdfunding se posicionam como alternativas às Bolsas de Valores e ao mercado financeiro. Nesse contexto, surgem também novos métodos de pagamentos baseados em moedas virtuais, o que afasta ainda mais a dependência dos bancos e instituições financeiras e se vale da TI para operacionalizar grande parte dos serviços.

Por fim, como ficou claro, a tecnologia é, marcadamente, uma grande aliada para o surgimento de novas tendências de TI.

Assim, inovar é criar um futuro diferente, mas pra isso é preciso estar atento às tendências de TI. E agora que já conhece algumas delas, o que acha de compartilhar essas informações nas suas redes sociais? Elas também podem ser úteis aos seus contatos!

Gostou? Compartilhe:

Bruno Zago

Bruno Zago

Diretor Comercial e de Marketing da Cedro Technologies.